Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alma-lusa

alma-lusa

25
Fev21

LETRAS LUSAS: "Memórias de um Maestro", de Álvaro Cassuto

Álvaro Cassuto - Saber tudo sobre os produtos Música na Fnac.pt

 

 

Editora: Guerra & Paz

 

Sinopse: As memórias de um compositor e maestro, por norma, limitam-se ao elenco de obras e referências às orquestras e concertos que dirigiu. Porém, Álvaro Cassuto distancia-se do modelo tradicional para descrever, numa linguagem factual e sem rodeios, as peripécias da sua carreira, a sua actividade à frente de uma variedade de orquestras internacionais, mormente norte-americanas, e os seus «conflitos» com instituições portuguesas.

O Maestro Álvaro Cassuto revela o papel determinante que o seu envolvimento na gestão de orquestras teve para os seus sucessos e «derrotas», resultado amargo de visões diametralmente opostas explicadas em pormenor. Ao longo de uma carreira de seis décadas, longa e brilhante, por ter convicções enraizadas resultantes da sua experiência pessoal, contribuiu intensamente para o desenvolvimento das orquestras às quais esteve ligado, nunca em benefício de interesses pessoais, tendo dedicado parte significativa dos seus esforços à difusão da música orquestral de compositores portugueses, uma área complementar que realça a dedicação e empenho pela causa da música portuguesa.

 

Álvaro Cassuto | Discography | Discogs

 

Álvaro Cassuto nasceu no Porto, em 1938, e cresceu em Lisboa, filho de pais judeus alemães que fugiram do regime Nazi e regressaram a Portugal, sua pátria ancestral. Muito cedo iniciou o estudo do violino e do piano, tendo estudado composição durante a adolescência, mormente com Fernando Lopes-Graça, enquanto frequentava o Liceu, licenciando-se em Direito na Universidade de Lisboa. Iniciou a sua carreira em 1959 enquanto compositor de obras para orquestra, tendo sido o primeiro compositor português a adoptar o Dodecafonismo Serial. Tendo frequentado os cursos de música de vanguarda em Darmstadt, na Alemanha, onde trabalhou com Boulez e Stockhausen, estudou direcção de orquestra com Herbert von Karajan, em Berlim, e Pedro de Freitas Branco, em Lisboa. Estreou-se como maestro em 1961 e obteve o diploma de Kapellmeister no Conservatório de Viena. Ao longo da sua extensa carreira, esteve ligado a dez orquestras, seis das quais em Portugal. Foi sucessivamente Maestro-Adjunto da Orquestra Gulbenkian, Maestro-Director da Orquestra Sinfónica da RDP, Maestro-Fundador da Nova Filarmonia Portuguesa, Maestro-Fundador da Orquestra Sinfónica Portuguesa, Maestro-Fundador da Orquestra do Algarve e Director Artístico da Orquestra Metropolitana de Lisboa. Em 2009, por ocasião do 50º aniversário da sua carreira, o Coliseu do Porto descerrou uma lápide comemorativa no seu foyer e, no Dia de Portugal, o Presidente da República agraciou-o com o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub