Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

alma-lusa

alma-lusa

25
Jul22

LETRAS LUSAS: "D. João I", de Maria Helena da Cruz Coelho

imagem

 

Editora: Temas e Debates

 

Sinopse: No ano de 1357 nasce João, mais um filho ilegítimo do infante D. Pedro. Ascende, ainda criança, a Mestre de Avis e, liderando a ordem e frequentando a corte, atravessará os governos de seu pai e de seu irmão D. Fernando. Após a morte deste monarca (1383), os acontecimentos precipitam-se e diversas forças sociais guindam-no a um protagonismo político que fará dele regedor e defensor do reino e, finalmente, rei de Portugal, nas Cortes de Coimbra de 1385. Desde logo, com os apoios certos e tendo como braço armado Nuno Álvares Pereira, vai submetendo opositores e combatendo os Castelhanos, dentro e fora do reino, numa sequência de guerras que só cessarão com a assinatura da paz em 1411.

Nascida que era já uma vasta prole do seu casamento com D. Filipa de Lencastre, em 1387, e consolidada uma corte, D. João governará apoiando-se na sua linhagem e em fiéis vassalos. Conquista Ceuta, em 1415, uma vitória sobre os infiéis que lhe garante fama em toda a cristandade. Depois, embora tudo superintenda, delega grande parte dos negócios internos e externos aos descendentes que, pelas suas alianças matrimoniais, consolidam estratégicas políticas diplomáticas, e entrega-se aos prazeres palacianos e cortesãos, sobremaneira à caça de montaria.

D. João morre a 14 de Agosto de 1433, ao fim de um longo reinado de 48 anos, e foi sepultado no Mosteiro da Batalha, marco real e simbólico da sua vitória real. Como monarca, D. João veio a colher em vida e a recolher, para além da morte, uma «boa memória» de rei justo, vitorioso, devoto e culto que, pela voz dos povos, foi proclamado pai dos Portugueses.  

 

maria_helena_cruz_coelho.jpg

 

Maria Helena da Cruz Coelho é Professora Catedrática Jubilada da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e Investigadora Integrada do Centro de História da Sociedade e da Cultura. Colabora com outras Unidades de I&D e tem participado em diversos projectos científicos, alguns apoiados pela FCT. Pertence a diversas Academias e Comissões nacionais e internacionais, sendo membro da Comissão Científica de várias revistas do país e do estrangeiro. É Vice-Presidente da Academia Portuguesa da História e Presidente da Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais. Esteve presente em centenas de encontros e reuniões científicas no país e estrangeiro (Espanha, França, Itália, Inglaterra, Escócia, Bélgica, Áustria, Alemanha, Grécia, República Checa, Noruega, ex-URSS, EUA, Canadá, Brasil, Argentina, Marrocos, Cabo Verde), apresentando, na maioria delas, comunicações e conferências. A sua investigação, divulgada em mais de trezentas publicações, algumas traduzidas em russo, espanhol, francês, italiano, inglês e alemão, incide sobre as mais diversas temáticas do período medieval, com destaque para a historiografia, biografia, história política, história social, história religiosa, história institucional, história económico-social, poder local, mundo rural, alimentação e quotidiano. Recebeu o Prémio Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian (1990) e oito prémios da Academia Portuguesa da História. Foi agraciada com o Grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique (2011). No âmbito das matérias abordadas neste livro, conta, entre outros estudos, com as obras:
Forais de Montemor-o-Velho, Foral de D. Manuel I a Santarém O Município de Coimbra. Monumentos Fundacionais. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub