Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alma-lusa

alma-lusa

06
Out18

ESPECIAL NOBEL SARAMAGO - Clarabóia (RTP2 - 22h15)

claraboia.jpg

 

 

Texto: José Saramago

Adaptação Texto e Banda Sonora: João Paulo Guerra

Encenação e Dramaturgia: Maria do Céu Guerra

Cenografia: José Costa Reis

Realização: João Cayatte

 

Elenco: Adérito Lopes, Carolina Parreira, Carlos Sebastião, Fernando Belo, Guilherme Lopes, Hélder Costa, Henrique Abrantes, João Maria Pinto, Lucinda Loureiro, Maria do Céu Guerra, Paula Bárcia, Paula Guedes, Paula Sousa, Rita Lello, Rita Soares, Rúben Garcia, Sérgio Moras, Sónia Barradas, Teresa Sampayo

 

Sinopse: Lisboa, meados do século XX. Num prédio de uma zona popular não identificada vivem seis famílias. Um sapateiro com a respectiva mulher e um caixeiro-viajante casado com uma galega e o respectivo filho, nos dois apartamentos do rés-do-chão; no 1º andar, um empregado da tipografia de um jornal com a mulher e, em frente, uma "mulher por conta"; no 2º andar, uma família de quatro mulheres (duas irmãs e as duas filhas de uma delas) e, do outro lado, um empregado de escritório, a mulher e a filha no início da idade adulta.


O romance começa com uma conversa matinal entre o sapateiro do rés-do-chão, Silvestre, e a mulher, Mariana, sobre se lhes seria conveniente e útil alugar um quarto que têm livre para daí tirar algum rendimento. A conversa decorre, o dia vai nascendo, a vida no prédio recomeça e revela as vidas daquelas seis famílias da pequena burguesia lisboeta: os dramas pessoais e familiares, a estreiteza das vidas, as frustrações e pequenas misérias, materiais e morais. 


O quarto do sapateiro acaba alugado a Abel Nogueira, personagem para o qual Saramago transpõe o seu debate - debate que 30 anos depois viria a ser o tema central do romance "O Ano da Morte de Ricardo Reis" - com Fernando Pessoa: Podemos manter-nos alheios ao mundo que nos rodeia? Não teremos o dever de intervir no mundo porque somos dele parte integrante?

 

Assinalando os 20 anos da atribuição do Prémio Nobel da Literatura, a 8 de Outubro de 1998, a RTP2 apresenta o romance de José Saramago na adaptação do grupo de teatro A Barraca.

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D