Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alma-lusa

alma-lusa

10
Abr21

CINE TV: A Fábrica de Nada (RTP2 - 23h25)

A Fábrica de Nada

 

Ano: 2017

Realização: Pedro Pinho

Argumento: Pedro Pinho, Luísa Homem, Leonor Noivo, Tiago Hespanha

Música original: José Smith Vargas, Pedro Rodrigues

 

Elenco: José Smith Vargas, Carla Galvão, Njamy Sebastião, Joaquim Bichana Martins, Danièle Incalcaterra, Hermínio Amaro, João Santos Lopes, Paulo Vitorino, Rui Ruivo, António Cajado Santos, Zé Pedro, Arlindo Miguel, Boris Nunes, Euclides Furtado, Fernando Lopes, Sandra Calhau, Ricardo Gonçalves, Dinis Gomes, Helena Cavacas Veríssimo, Carlos Garrido Santos, Américo Silva, Vasconcelos, António Rocha Pereira, Tristão Soares, Nuno Vieira, João Barbosa, David Pereira Bastos, Paulo Ganhão, Anselm Jappe, Matilde Gago da Silva, Toni, Isabel do Carmo, Roger Claustre, Sara Pinto, Mauro Airez, Crista Alfaiate, Tiago Hespanha, Vera Midões, Joana Pais de Brito, Miguel Perdigão, Patrícia Soso

 

Sinopse: Uma noite, um grupo de operários percebe que a administração está a roubar máquinas e matérias- primas da sua própria fábrica. Ao decidirem organizar-se para proteger os equipamentos e impedir o deslocamento da produção, os trabalhadores são forçados - como forma de retaliação - a permanecer nos seus postos sem nada que fazer enquanto prosseguem as negociações para os despedimentos. A pressão leva ao colapso geral dos trabalhadores, enquanto o mundo à sua volta parece ruir.

 

A partir de uma ideia de Jorge Silva Melo, "A Fábrica de Nada" é uma longa-metragem de ficção, baseada na peça original "The Nothing Factory" da escritora holandesa Judith Herzberg, sobre os dias que se vivem, entre empresas que fecham e outras que se tentam salvar, pela força e vontade dos seus trabalhadores. Passado na zona industrial de Alverca, o filme trabalha a relação entre um trabalhador e um realizador que procura fazer um filme a partir de uma fábrica em processo de falência.

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub