Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alma-lusa

alma-lusa

05
Jul18

CINE ESTREIA: Prometo Falhar - O Filme

 

 

Realização e Argumento: Alberto Rocco 

Produção: Occidente Movie Productions (Alberto Rocco), Senso (Octávio Marques), BlueTail Films (José Rodrigues)

 

Sinopse: "Prometo falhar. E Deus te livre de não me prometeres o mesmo." (Pedro Chagas Freitas)

 

Como se torna num filme o livro mais sublinhado de sempre? Como se conta a história de um livro que tem nele todas as histórias que o leitor pode encontrar? Como se assume a responsabilidade de apresentar a centenas de milhares de leitores o filme de um dos seus livros preferidos, de um dos livros da sua vida? 

 

Pedro Chagas Freitas, autor de uma das obras portuguesas mais lidas e sublinhadas de sempre, o livro "Prometo Falhar", juntou-se ao realizador Alberto Rocco e sua equipa para lançar um filme, que assume o mesmo nome do seu icónico livro.

 

Pedro Chagas Freitas assume: "Falhei. Falhei de várias maneiras. Falhei em tudo — e só por isso nasceu o PROMETO FALHAR. Tenho a certeza, no entanto, de que o Alberto não falhou neste filme — que é no fundo um poema visual, uma narrativa com poesia dentro. Vejam-no com medo de falhar. Mas com coragem para sentir. O amor é isso, sempre isso, incansavelmente: ter coragem para sentir".

 

Alberto Rocco é um realizador italiano radicado em Portugal. O documentário "Prometo Falhar - O Filme", inspirado no bestseller do autor português Pedro Chagas Freitas, é a sua estreia no cinema nacional. Além de realizador, Alberto Rocco é director de Audiovisuais do jornal Económico e escritor. 

 

 

 

Resultado de imagem para pedro chagas freitas prometo falhar

 

Pedro Chagas Freitas nasceu em Azurém, no concelho de Guimarães, em 1979. Os seus livros estão publicados em mais de uma dezena de países e é um dos autores mais vendidos em Portugal, Itália e no Brasil. Com mais de 500 mil exemplares vendidos em todo o mundo, "Prometo Falhar", um livro que fala de amor, foi um dos maiores fenómenos de venda da história da literatura portuguesa — de tal maneira que foi descrito, em Itália, como o livro mais sublinhado de sempre.

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D