Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alma-lusa

alma-lusa

17
Out11

ISTO É PORTUGAL! - Conserveira de Lisboa (Tricana, Prata do Mar e Minor)

 

 

Origem: Lisboa

 

«Na Baixa lisboeta desde 1930, mantém-se fiel ao espírito do comércio tradicional e familiar, mas não perdendo de vista a internacionalização, pois as suas marcas - Tricana, Prata do Mar e Minor - são vendidas em países como França, Alemanha e Hungria e referidas em várias publicações estrangeiras.»

 

(retirado da reportagem 1000 Motivos do nosso Orgulho publicada na 1000ª edição da revista Notícias Magazine)

 

 

 

 

«A placa, erguida em azulejo, à porta do número 34 da Rua dos Bacalhoeiros, desvenda-lhe a origem, enquanto Manuela Neves - 81 anos, tantos quantos a loja onde trabalha há cerca de 30 - prende com guita e um sorriso o papel da embalagem de mais uma lata de conserva. "Conserveira de Lisboa. Armazenista. Casa Fundada em 1930", esta loja típica da Baixa lisboeta conserva a traça original, a calçada portuguesa sobre o chão, o balcão principal e até as prateleiras de madeira revestidas a milhares de coloridas latas. Conservada ficou também a linhagem familiar de um negócio criado por Fernando da Silva Ferreira, no seio da antiga Mercearia do Minho, onde era marçano. Ao patriarca, seguiu-se o filho Armando Cabral Ferreira e a nora Regina Cabral Ferreira, que hoje, aos 62 anos, após o falecimento do marido, lidera a Conserveira ao lado dos filhos Tiago José e Maria Manuel e do sócio e amigo de longa data Luís António Vieira. A loja já enfrentou guerras, mudanças de regimes, os produtos congelados e as grandes superfícies.

 

As três marcas da Conserveira de Lisboa - Tricana, Minor e Prata do Mar - recorrem a peixe fresco de origem 100% portuguesa: o atum é pescado ao largo dos Açores, as cavalas na costa sul do continente, a sardinha a norte e os moluscos na zona da Murtosa, perto de Aveiro. O azeite também tem selo luso, à semelhança da maioria dos ingredientes que se somam aos peixes nas latas de conserva. Aos quatro fornecedores de produtos alimentares, juntam-se uma empresa encarregue do design, duas de cartonagem e uma gráfica: todos portugueses. Na carta da Conserveira de Lisboa entram, além do atum e da sardinha, a cavala, as anchovas, o bacalhau, o salmão, o polvo, as enguias, as lulas, os bivalves, as ovas e até a lampreia minhota.

 

Registada em 1942, a Tricana é a marca que se dedica literalmente aos peixes grandes, com filetes inteiros dispostos manualmente, lata a lata. No mesmo ano, nasceria a Prata do Mar composta por uma gama de filetes de tamanho mais reduzido e oferecendo ainda conservas cozinhadas. Criada em 1955, também para jogar na liga dos peixes menores, juntamente com os filetes mais pequenos, a Minor contempla patês e pastas de peixes para serem servidos como petiscos ou entradas.

 

Por dia vendem-se, em média, 850 latas de conserva, que saem directamente das mãos dos funcionários da Conserveira de Lisboa para deixar água na boca dos clientes habituais e das centenas de turistas nacionais e estrangeiros que visitam a loja diariamente. 20 mil latas de conserva empilham-se nas prateleiras de madeira que correm de lés a lés as paredes deste tradicional armazém alfacinha. O stock vai, porém, variando ao sabor da época, consoante o pescado se encontra ou não nas melhores condições para fazer conserva.

 

O passar dos anos pode ter roubado o viço, mas não o carisma dos slogans que se encavalitam nos letreiros de latão espalhados pela loja. Com grafias de outros tempos, as frases "Coma refeição rápida e nutritiva. Utilize conservas de peixe.", "As conservas portuguesas de peixe são as melhores do mundo.", "No campo, na praia, em toda a parte, deve ter sempre conservas de peixe." e "Nesta casa encontra V.Ex.cia. toda a qualidade de conservas de peixe e marisco" servem de aviso à navegação e de isco para atrair clientela.

 

Ex-líbris do velho comércio lisboeta, a sede da Conserveira de Lisboa, na Rua dos Bacalhoeiros, é actualmente classificada como Património de Interesse Municipal. À parte da loja própria onde são embaladas, armazenadas e comercializadas, é possível descobrir as marcas Tricana, Minor e Prata do Mar no circuito de 14 mercearias gourmet e restaurantes espalhados pelo País. Fora de portas - ainda que esteja registada em cada um dos 27 estados-membros da União Europeia - Itália, França, Hungria e Alemanha são os principais importadores dos produtos da Conserveira de Lisboa.»

 

(retirado do artigo "Portugal faz bem - Conservas em família" publicado na edição nº 971 da revista VISÃO)

 

 

http://www.conserveiradelisboa.pt/

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub