Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

alma-lusa

alma-lusa

04
Set11

SER PORTUGUÊS - Mariza

 

Naturalidade: Moçambique/Lisboa

 

Filha de pai português e mãe moçambicana, Mariza nasceu em Moçambique. Aos 3 anos, a família veio para Portugal tendo-se instalado em Corroios (Seixal). Um ano depois, mudaram-se para Lisboa, cidade onde a fadista cresceu, mais concretamente no bairro da Mouraria.

 

 

 

 

«Auto-intitula-se como "cantadeira de fados". O jornal britânico The Guardian chamou-lhe "uma diva da música do mundo".»

 

(retirado da reportagem "1000 Motivos do nosso Orgulho" publicada na 1000ª edição da revista Notícias Magazine)

 

 

 

«Mariza é hoje a intérprete mais reconhecida do fado contemporâneo. O patamar a que chegou está muito perto daquele que consagrou para sempre Amália Rodrigues. É dela que se fala em todo o mundo quando Portugal é tema de conversa, quer no café, no hotel, na rádio ou na televisão. Subiu a pulso, degrau a degrau, desde 1998, quando entregou a sua voz ao fado em espectáculos internacionais. Só gravou em 2002, e não foi nenhuma editora portuguesa a dar-lhe a mão. Lá fora as plateias de palcos como o Carnegie Hall, em Nova Iorque, o Walt Disney Concert Hall, em Los Angeles, a Salle Pleyel, em Paris, a Ópera de Sidney ou o Royal Albert Hall, em Londres, renderam-se à sua voz e à sua dramatização do fado. Foi ela, de resto, a colocar o fado no topo da world music. Aos 37 anos espera um filho (entretanto já foi mãe) e está no auge da sua carreira. É uma mulher madura, ciente do chão que pisa e consciente da cultura que representa. Uma mulher que é a um tempo a imagem de marca de um país e a sua própria imagem de marca: autêntica, genuína, segura e genial!»

 

(retirado da reportagem Os 100 Mais Influentes, categoria "Consagrados ou Conservadores", publicada na revista Única)

 

 

Portugal Genial: Mariza - A nossa Madonna

 

«A 14 de Setembro de 2005, no Pavilhão Atlântico, enquanto esperávamos pela diva americana, a plateia virou-se repentinamente para a bancada e, num espontâneo movimento colectivo, saudou a nossa diva, que discretamente chegava com João Pedro, seu marido. Por todas as razões, Mariza não passa despercebida, mas, sobretudo, porque é genuína e isso não se vê, sente-se.

 

"Ingenuína", irrepreensivelmente trabalhada em todos os pormenores, Madonna é um produto da fábrica de si própria, pronto a ser consumido por milhões de fãs. A nossa grande diva é, pelo contrário, um escultura viva, genuína como uma estrela-do-mar. "Mariza e cantora", como seu pai profetizou que seria, se tudo corresse bem, quando nasceu prematura.

 

Aquela que, no início da carreira, só lhe falta ganhar um Grammy, aquela que diz que foi o fado que a escolheu e que aprendeu a cantar na rua para o vizinho do terceiro andar.

 

Aquela que come sempre uma sopa duas horas antes de cada espectáculo e que leva os estendais da Mouraria às suites dos grandes hotéis do mundo.

 

Aquela que emana charme e carisma, que tem o mar esculpido no topo da sua silhueta imaculada.

 

Aquela que tem uma voz forte e sensual, que diz que o fado não é uma música, é um sentimento, e que ela própria não é uma cantora, mas sim um instrumento.

 

Aquela que brilha pelo mundo fora, que improvisa e precisa da energia do público para exprimir intensamente a sua.

 

Aquela que, na mítica Union Chapel, em Londres, no Walt Disney Concert Hall (de Frank Gehry) ou no Hollywood Bowl, arrasa plateias e esgota salas com meses de antecedência.

 

Aquela que chama e a quem a guitarra responde, aquela que reinventou o fado...

 

Aquela que canta em português ao lado de Sting (no disco oficial dos Jogos Olímpicos de Atenas), aquela que é o exército português em si própria.

 

Perdoa-me, Mariza, mas começam a faltar-me as palavras e o talento para conseguir expressar o que todos os portugueses te devem. A nossa Mariza é uma das maiores embaixadoras do País, da nossa História e da nossa contemporaneidade, capaz de levar a palavra Portugal ao topo do mundo, com o imenso orgulho que tem em ser portuguesa.»

 

(Setembro 2005)

 

(Excerto do texto "Mariza - A nossa Madonna", in "Portugal Genial", de Carlos Coelho)

 

 

http://www.mariza.com/

 

Post Mariza:

 

http://alma-lusa.blogs.sapo.pt/85815.html 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub