Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

alma-lusa

alma-lusa

31
Dez21

CINE TV: A Metamorfose dos Pássaros (RTP2 / 1 Janeiro - 17h25)

A Metamorfose dos Pássaros

 

Ano: 2021

Realização e Argumento: Catarina Vasconcelos

Fotografia: Paulo Menezes 

Produção: Primeira Idade

 

Elenco: Manuel Rosa, João Móra, Ana Vasconcelos, Henrique Vasconcelos, Inês Campos, Catarina Vasconcelos, Luísa Ministro, José Maria Rosa, Ana Margarida Vasconcelos, José Vasconcelos, João Vasconcelos, Nuno Vasconcelos, Teresa Vasconcelos, Pedro Vasconcelos, Henrique Serpa de Vasconcelos, Ana Sofia Domingues Cabeça, Pedro Fernandes Duarte, Pedro Farinha, Tiago Gaio, João Guimarães, Laura Guimarães, Leonor Macedo, Márcio Martha, Manuel Molarinho, Damien Monteau, Henrique Móra, Francisco Rosa, Francisco Vasconcelos, Maria Vasconcelos, Pedro Maia Vasconcelos

 

Sinopse: Beatriz e Henrique casaram no dia em que ela fez 21 anos. Henrique, oficial de marinha, passava largas temporadas no mar. Em terra, Beatriz, que aprendeu tudo com a verticalidade das plantas, cuidou das raízes dos 6 filhos. O filho mais velho, Jacinto, é meu pai e sonhava poder um dia ser pássaro. Um dia, subitamente, Beatriz morre. A minha mãe não morreu subitamente, mas morreu quando eu tinha 17 anos. Nesse dia, eu e o meu pai encontrámo-nos na perda da mãe e a nossa relação deixou de ser só a de pai e filha.

 

Uma viagem entre a beleza dos afectos familiares e os sentimentos de perda. Um filme sobre, como refere Catarina Vasconcelos, "a mãe do meu pai. A minha mãe. As mães. As mães das mães. As mães das mães das mães. Mas também acerca de um determinado período histórico que eu não tinha vivido: um período tão distinto daquele que vivemos hoje e que temos o dever de não esquecer. É um grande privilégio viver em liberdade".

 

Aplaudida pela crítica internacional e pelo público, a primeira longa-metragem de Catarina Vasconcelos foi seleccionada para mais de 60 festivais internacionais, tendo sido, em 2020, o filme português com mais presenças em festivais em todo o mundo e o mais premiado, vencedor de mais de 20 prémios, entre os quais, prémio de melhor filme e prémio do público em vários países. Teve ante-estreia mundial na Berlinale - Berlin International Film Festival – onde venceu o Prémio FIPRESCI, atribuído pela Federação Internacional de Críticos. A ante-estreia nacional realizou-se no IndieLisboa 2020 - onde venceu o Prémio de Melhor Realização para Longa-Metragem Portuguesa e o Prémio do Público.

 

"A Metamorfose dos Pássaros" é o candidato de Portugal a uma nomeação aos Óscares na categoria de Melhor Filme Estrangeiro. 

 

 

 

 

 

 

31
Dez21

TV: Rali Dakar 2022 (1 a 14 Janeiro - Eurosport)

Rali Dakar tem cobertura assegurada pelo Eurosport | Zapping

 

O Rali Dakar é a maior e mais importante prova de todo-o-terreno a nível mundial. Em 2022, cumpre a sua 44.ª edição e volta a levar o espectáculo do rali-raid para as magníficas paisagens da Arábia Saudita, onde areia e calor serão novamente o adversário dos pilotos. 

 

De 1 a 14 de Janeiro, a Arábia Saudita recebe pela 3.ª vez o Dakar para uma maratona que promete ainda mais emoção. Os pilotos dos mais de 430 veículos terão de cumprir um total de 8177 quilómetros, 4258 deles cronometrados, menos 500 do que na edição anterior, mas com mais areia e dunas no caminho. No dia de Ano Novo, a prova arranca com um "prólogo" entre Jeddah e Hail e inclui 19 quilómetros de especial cronometrada. Os campeões serão coroados em Jeddah, a 14 de Janeiro. 

 

Uma das principais novidades do rali é que, pela 1.ª vez na história, vai pontuar para os Campeonatos Mundiais de Rally da FIA e da FIM. No novo Mundial da FIA, incluem-se ainda corridas em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos (Março), Cazaquistão (Abril), Andaluzia, Espanha (Junho) e Marrocos (Outubro).

 

O Rali Dakar 2022 conta com a participação de 20 portugueses, em quatro categorias. Sete estão à partida nas motas (Rui Gonçalves, António Maio, Joaquim Rodrigues Jr., Mário Patrão, Alexandre Azinhais, Arcélio Couto e Paulo Oliveira), quatro nos automóveis (Filipe Palmeiro como navegador do lituano Benediktas Vanagas, Paulo Fiúza como navegador do lituano Vaidotas Zala, e a dupla Miguel Barbosa/Pedro Velosa), quatro na categoria de veículos ligeiros (Rui Carneiro/Filipe Serra e Mário Franco/Rui Franco), quatro nos SSV (Luís Portela de Morais/David Megre e Rui Oliveira/Fausto Mota) e ainda José Martins, nos camiões.

 

O Eurosport emite diariamente um magazine de uma hora, com os melhores momentos do rali, comentado por João Carlos Costa. De 1 a 14 de Janeiro, acompanhe toda a acção da prova todo-o-terreno mais emocionante do planeta no Eurosport. 

31
Dez21

ESPECIAL FIM DE ANO 2021/22 - A Máscara (SIC - 21h15)

A Máscara (3.ª temporada) – Wikipédia, a enciclopédia livre

 

O programa "A Máscara" terá uma edição muito especial na última noite do ano. Como é habitual, os investigadores terão de tentar adivinhar que concorrentes se escondem atrás das máscaras e haverá muitas revelações ao longo da noite. Além do camaleão, o programa apresentado por João Manzarra contará com o regresso de outras máscaras que fizeram sucesso nas duas primeiras edições. 

31
Dez21

ESPECIAL FIM DE ANO 2021/22 - RTP1 (31 Dezembro e 1 Janeiro)

Natal e Ano Novo na RTP1 | Extra | RTP

 

 

Sexta, 31 

 

 The Voice Portugal - Especial 10 Anos (21h05) 

Um programa especial que celebra 10 anos do programa "The Voice Portugal", com antigos e actuais mentores e candidatos, actuações muito especiais, muitas surpresas e emoções na noite de fim-de-ano. 

 

 

 

Sábado, 1 

 

Escola das Artes (07h20) 

Rute (Carla Andrino), mãe de quatro filhos muito diferentes, vê-se obrigada a arranjar uma solução para suportar os custos da família. Ex-bailarina, acaba por conseguir um bom emprego numa companhia de dança que actua em cruzeiros. Na impossibilidade de levar os filhos consigo, deixa-os ao cuidado de Lalá (Sofia Espírito Santo), uma grande amiga, que os acolhe na escola que dirige: a Escola das Artes, um colégio com internato para jovens com aptidão artística. Este é um colégio inovador, com um sistema de ensino diferente, sem salas de aula, horários rígidos ou turmas organizadas por faixas etárias. A grande aposta é nas disciplinas artísticas (canto, instrumento, dança, representação), mas os alunos também aprendem as disciplinas tradicionais, através de projectos multidisciplinares orientados para o musical que vão preparar em cada período. E é assim que a magia acontece.

 

 

 

Missa de Ano Novo (09h00)

Transmissão, em directo de Roma, da Missa da Solenidade da Santíssima Mãe de Deus, presidida por Sua Santidade, o Papa Francisco.

30
Dez21

LETRAS LUSAS: "Palavras São Imagens São Palavras", de Sérgio Godinho

 

Editora: Quetzal

 

Sinopse: Todos conhecemos letras de algumas canções de Sérgio Godinho que, em cada uma das suas composições, conta uma pequena história, apanha e amplifica um momento do quotidiano ou da intimidade ou capta com ironia (e também lirismo e sabedoria) uma porção do espírito do tempo, individual ou colectivo.

Neste livro, as letras ou os poemas não darão origem a canções, mas a imagens - as que Sérgio Godinho procurou activamente ou que foi registando espontânea e aleatoriamente e que vieram a encontrar a «sua» letra. O diálogo que assim se estabelece entre poemas e fotografias atravessa os temas da viagem, do amor, da memória, da arte, produzindo instantâneos de pessoas, lugares, animais e de acontecimentos diários ou únicos e irrepetíveis.

 

sergio godinho 2.jpeg

 

Sérgio Godinho nasceu no Porto e aí viveu até aos vinte anos, altura em que saiu de Portugal. Estudou Psicologia em Genebra (Suíça), durante dois anos, antes de tomar a decisão «para a vida» de se dedicar às artes. Foi actor de teatro e começou a exercitar a escrita de canções nos finais dos anos 1960. É de 1971 o seu primeiro álbum, Os Sobreviventes, seguido de mais trinta até aos dias de hoje. Sérgio Godinho é um dos músicos portugueses mais influentes dos últimos quarenta e cinco anos. Sobre si próprio disse: «Não vivo se não criar, não crio se não viver. Essa balança incerta sempre foi a pedra de toque da minha vida.» O seu percurso espelha, precisamente, essa poderosa interacção entre a vida e a arte. Voz polifónica, Sérgio Godinho levou frequentemente a sua escrita a outras paragens. Guiões de cinema (Kilas, o Mau da Fita), peças de teatro (Eu, Tu, Ele, Nós, Vós, Eles!), séries de televisão, histórias infanto-juvenis (O Pequeno Livro dos Medos), poesia (O Sangue por Um Fio), crónicas (Caríssimas Quarenta Canções), entre vários exemplos. Estreou-se na ficção com Vidadupla, um conjunto de contos publicado em 2014, a que se seguiram os romances Coração Mais Que Perfeito e Estocolmo.

30
Dez21

DOC TV: Paraíso (RTP2 - 20h05)

Paraíso

 

Realização: Sérgio Tréfaut

Produção: Faux (Portugal), Les Films d'Ici (França)

 

Sinopse: Um grupo de idosos reúne-se todos os dias nos jardins do Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, Brasil. Ao cair da tarde, homens e mulheres quase centenários revelam o sentido da vida através de antigas canções de amor. As suas vidas e os seus cantos são subitamente interrompidos pela pandemia. Este documentário é um retrato da sua força e vitalidade e uma homenagem à beleza de uma geração dizimada.

 

"Paraíso" começou por ser um "mergulho na memória" do cineasta Sérgio Tréfaut, que nasceu no Brasil e deixou o país quando era adolescente, voltando ali após quatro décadas de ausência. Filmado nos jardins do Palácio do Catete, no Rio, antiga sede do governo brasileiro e hoje Museu da República, onde todos os dias, ao cair da tarde, mulheres e homens quase centenários, pessoas anónimas e verdadeiras estrelas por quem o tempo não parece ter passado, verdadeiros sobreviventes de um outro Brasil, como diz Tréfaut, se reúnem para cantar antigas canções de amor, o filme, as vidas e as canções dos seus intérpretes foram subitamente interrompidos pela pandemia. Alguns ainda cantam. Outros partiram. "Paraíso" é o retrato de um país que se apaga e uma homenagem à beleza de uma geração dizimada.

 

Sérgio Tréfaut, filho de pai português (o escritor e jornalista Miguel Urbano Rodrigues) e mãe francesa, nasceu no Brasil em 1965. Passou a infância em São Paulo e, em 1974, depois do 25 de Abril, vem com a família para Portugal. Em 1975, volta ao Brasil e, em 1977, regressa a Lisboa. Viveu ainda seis anos em Paris. Após um mestrado em Filosofia na Sorbonne (Paris), começou a trabalhar em Lisboa como produtor e realizador.

 

30
Dez21

PRIMEIRA PESSOA - Manuel Cargaleiro (RTP1 - 21h00)

Manuel Cargaleiro

 

Chamam-lhe o Picasso da cerâmica. Faz parte da última geração da chamada Escola de Paris. Vive na Rive Gauche há 60 anos. As suas obras estão espalhadas pelo mundo.


Versátil, pinta a óleo, é ceramista e assina obras públicas importantes em várias regiões da Europa. Em Itália, há mesmo um museu que lhe é dedicado, mas a sua Fundação está em Castelo Branco, a região onde nasceu há mais de 90 anos.


Um homem do mundo, Manuel Cargaleiro na Primeira Pessoa.

 

29
Dez21

Provas cegas de portugueses no The Voice e The Voice Kids entre as melhores do mundo

Luís Trigacheiro, vencedor do 'The Voice': " Nem sabia bem para o que ia" -  A Planície

 

Todos os anos, o canal de YouTube "The Voice Global" reúne as provas cegas e as actuações mais emocionantes e mais vistas dos países onde transmitem os programas de talentos musicais "The Voice" e "The Voice Kids". Entre os melhores de ambos estão dois portugueses, Luís Trigacheiro e Simão Oliveira, os vencedores das últimas edições de cada programa.

 

Luís Trigacheiro foi considerado um dos 10 melhores vencedores do programa de talentos de 2021. O jovem alentejano arrebatou os mentores e emocionou o País ao interpretar a canção tradicional "As Mondadeiras" e viria a sagrar-se vencedor da oitava edição do "The Voice Portugal", transmitida na RTP1 entre Setembro de 2020 e Janeiro de 2021. A nona edição do programa estreou no passado mês de Outubro e pode ser vista aos domingos, na RTP1.

 

 

 

Simão Oliveira - The Voice Kids

 

O "The Voice Global" destacou também as melhores actuações do "The Voice Kids", que dá a conhecer os talentos mais novos e volta a haver um português entre os melhores. Simão Oliveira, vencedor do "The Voice Kids", destacou-se ao interpretar "O Fado Mora em Lisboa" na prova cega. A segunda temporada do programa foi exibida na RTP1 entre Janeiro e Abril de 2021. Ao sagrar-se vencedor do "The Voice Kids", Simão Oliveira ganhou o direito a representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção Júnior, que se realizou no início de Dezembro, tendo ficado em 11º lugar, o melhor resultado de sempre para Portugal neste concurso. 

 

29
Dez21

NOVOS SONS LUSOS - RLGNS

RLGNS | Música in Lisboa

 

RLGNS são João Medley Gonçalves e Pedro Escumalha, um duo natural de Lisboa. Em 2019, após a saída da anterior vocalista, lançaram o primeiro EP como dupla, "Perceptions", que combina shoegaze, música ambiental e electrónica. Em 2020, a dupla juntou-se ao músico e produtor Vasco Completo e lançaram o EP "passionately uncaring", composto pelo trio.

 

29
Dez21

CINE TV: Caminhos Magnétykos (RTP2 - 00h30)

Caminhos Magnéticos

 

Ano: 2019

Realização: Edgar Pêra

Argumento: Edgar Pêra (inspirado na obra de Branquinho da Fonseca)

Direcção Fotografia: Jorge Quintela

Música: The Legendary Tigerman, João Lima & André Louro, Manuel de Oliveira, Tó Trips

Produção: Bando à Parte (Rodrigo Areias) e Persona Non Grata Pictures (António Ferreira, Tathiani Sacilotto)

 

Elenco: Dominique Pinon (França), Ney Matogrosso (Brasil), Alba Baptista, Paulo Pires, Teresa Ovídio, António Durães, Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Marina Albuquerque, Ângelo Torres, Manuel João Vieira, Vítor Correia, Rebeca da Cunha, Tiago Guimarães, Paulo Furtado, Jorge Prendas, Diana Sá, Adelaide Teixeira

 

Sinopse: Raymond Vachs (Dominique Pinon), 60 anos, parisiense, veio para Portugal com o 25 de Abril, apaixonou-se e ficou por Lisboa, onde vive desde então. Durante o casamento da filha de 21 anos, Catarina (Alba Baptista), com Damião Vaz (Paulo Pires), um cinquentão rico e corrupto, Raymond martiriza-se por se ter calado e consentido o casamento, achando que era preferível a segurança financeira à incerteza num regime capitalista autoritário, "democraticamente eleito". Durante uma noite de humilhações, Raymond vive uma revolta interior e uma viagem caleidoscópica, num país em vias de desmoronar. É também o desmoronar das suas convicções.

 

Pág. 1/11

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub