Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

alma-lusa

alma-lusa

29
Nov21

MINI LETRAS LUSAS: "Inventor de Vendavais", de Hélia Correia

imagem

 

Editora: Relógio d'Água

 

Sinopse: «O vulto era uma árvore. Mas uma árvore muito especial. Era uma árvore negra, muito negra, escura, dura e fria como ferro. Mas havia uns bocados em que o negro tinha saído, como que raspado por alguns arranhões. Podia ver-se que existia dentro dela um brilho extraordinário, uma luz de ouro muito agitada, que fazia o som de uma coisa a ferver. Devia ser uma luz muito poderosa, com a sua cor tão forte que, por vezes, se tornava vermelha. Mas, como quer que fosse, ela não estava nada feliz. Batia contra o tronco e os dedos tinham um barulho de metal.»

 

heliacorreia_goncalorosadasilva01.jpg

 

Hélia Correia nasceu em Lisboa, em 1949. Licenciou-se em Filologia Românica e foi professora de Português do Ensino Secundário. Apesar do seu gosto pela poesia, é como ficcionista que é reconhecida como uma das revelações da novelística portuguesa da geração de 1980, embora os seus contos, novelas ou romances estejam sempre impregnados do discurso poético. Estreou-se na poesia com O Separar das Águas, em 1981, e O Número dos Vivos, em 1982. A novela Montedemo, encenada pelo grupo O Bando, dá à autora uma certa notoriedade. Aliás, Hélia Correia revelou, desde cedo, o gosto pelo teatro e pela Grécia clássica, o que a levou a representar em Édipo Rei e a escrever Perdição, levadas à cena, em 1993, pela Comuna. Escreveu também Florbela, em 1991, que viria a ser encenada pelo grupo Maizum. Destacam-se ainda na sua produção os romances Casa Eterna e Soma e, na poesia, A Pequena Morte/Esse Eterno Conto. Recebeu, em 2002, o prémio PEN 2001, atribuído a obras de ficção, pela sua obra Lillias Fraser. Venceu o prémio literário Correntes d'Escritas/Casino da Póvoa com o livro de poesia A Terceira Miséria. Foi galardoada com o Prémio Camões, em 2015.

29
Nov21

TV: Bola de Ouro 2021 (RTP3 e Sport TV+ - 19h30)

Bola de Ouro 2021

 

Os melhores jogadores de futebol do mundo de 2021 recebem os prémios no Théâtre du Chatelet, em Paris. Entre os 30 finalistas, estão três portugueses: Cristiano Ronaldo, Bruno Fernandes e Rúben Dias.

 

Rúben Dias, Bruno Fernandes e Cristiano Ronaldo candidatos à Bola de Ouro

Rúben Dias, Bruno Fernandes e Cristiano Ronaldo são candidatos à Bola de Ouro 2021

29
Nov21

QUALIFICAÇÃO MUNDIAL BASQUETEBOL: Montenegro x Portugal (RTP2 - 17h30)

Montenegro x Portugal

 

Esta segunda-feira, a Selecção Nacional de Basquetebol disputa mais um jogo de apuramento para o Mundial de 2023, que vai decorrer nas Filipinas, Japão e Indonésia. 

O adversário é o Montenegro. 

 

O jogo Montenegro x Portugal disputa-se na Bemax Arena, em Pogdorica, capital do Montenegro, tem início às 17h30 e será transmitido pela RTP2.

 

FORÇA, PORTUGAL!!!

28
Nov21

Abel Ferreira vence Taça Libertadores com o Palmeiras pela segunda vez consecutiva

Abel fez história, correu, chorou muito e acabou “em paz”: “Agora vou  refletir muito sobre o que quero no presente e no futuro” – Observador

Abel Ferreira sagrou-se bicampeão da Taça Libertadores

 

Este sábado, o treinador português Abel Ferreira sagrou-se campeão da Taça Libertadores, a mais importante competição do futebol sul-americano, pela segunda vez consecutiva, com o clube brasileiro Palmeiras. É o terceiro ano consecutivo que a Taça Libertadores é conquistada por um português, depois de Jorge Jesus, em 2019, com outro clube brasileiro, Flamengo, e de Abel Ferreira, em 2020, na liderança do Palmeiras. Depois de Jorge Jesus se ter tornado o primeiro português, e o segundo europeu, a conquistar a Libertadores, Abel Ferreira torna-se agora o primeiro europeu a sagrar-se bicampeão da competição. O técnico português alcançou um feito que já não acontecia há 20 anos na Taça Libertadores: ser campeão por duas vezes consecutivas.

 

O jogo da final da Taça Libertadores realizou-se em Montevideu, no Uruguai, e colocou frente-a-frente dois clubes brasileiros, Palmeiras e Flamengo, curiosamente os dois últimos vencedores da competição. O resultado final deu a vitória e o bicampeonato à equipa de São Paulo, treinada por Abel Ferreira, que derrotou por 2-1 o clube do Rio de Janeiro. 

 

Abel Ferreira tem 42 anos e é natural de Penafiel. Como jogador de futebol, fez a formação no clube da sua cidade, o Penafiel FC, onde começou a jogar como profissional em 1997. Três anos depois, transferiu-se para o Vitória de Guimarães, onde ficou até 2004, ano em que se mudou para o Sporting de Braga. Em 2006, foi para o Sporting, onde jogou até 2011, ano em que acabou a carreira de futebolista. Abel Ferreira foi convocado para a Selecção Nacional por Scolari, mas não chegou a representar Portugal por não ter disputado nenhum jogo.

 

Foi no ano em que terminou a carreira de futebolista que iniciou a de treinador, à frente da equipa sub-19 do Sporting, tendo em 2013/14 treinado a equipa B do clube leonino. De 2015 a 2017, treinou a equipa B do Sporting de Braga e, em seguida, assume a equipa principal do clube minhoto. O bom trabalho à frente dos arsenalistas faz despertar as atenções a nível internacional e, em 2019, Abel Ferreira muda-se para a Grécia para treinar o PAOK, onde ficou apenas uma temporada já que, em Outubro de 2020, os brasileiros do Palmeiras contrataram o técnico português que, no seu primeiro ano, conquistou a Taça Libertadores e a Taça do Brasil, aos quais junta agora a segunda Taça Libertadores. 

 

Além de Abel Ferreira, há mais portugueses na equipa técnica do clube brasileiro: Vítor Castanheira, Carlos Martinho, João Martins e Tiago Costa.

 

PARABÉNS, ABEL FERREIRA!!!

 

 

 

Bicampeão da Libertadores, Abel faz ainda mais história no Palmeiras -  Fotos - R7 Futebol

 

Canal 11 (@Canal_11Oficial) / Twitter

28
Nov21

BANDA SONORA "Para Sempre" (TVI)

Para Sempre - Estreia marcada! Nova novela da TVI já tem data de arranque |  Nova Gente

 

 

De 2ª a 6ª, às 22h30, na TVI.

 

                                 Tema original genérico: "Para Sempre" - Tony Carreira

"Diz-me" - Tony Carreira

"Frágil" - Aurea

"Sou Como Sou" - Ana Bacalhau

"O Tempo Passa" - Virgul

"Infinito" - Tomás Adrião c/ Elisa

"Este Meu Jeito" - Elisa

"Quase Dança" - Cláudia Pascoal

"A Qualquer Hora" - Irma

"Deixa o Amor Vencer" - André Amaro

"O Tempo Vai Esperar" - Os Quatro e Meia

"Para Sempre" - Diana Castro

"Incógnito" - Benjamim

"Oeste" - Valter Lobo

"Vem" - Sebastião e Pipa

"Lugar" - Marta Carvalho

"Fica" - Domingues

"Por Ti" - Tomás Meirelles c/ Mariana Mauger

"Saia Velhinha" - Cristina Clara

"Eu Gosto do Tomate Pelado" - Rosinha

28
Nov21

TV: Entre Paredes - Bernardo Moreira Sexteto (RTP2 - 00h45)

Entre Paredes: Bernardo Moreira Sexteto

 

O regresso do contrabaixista Bernardo Moreira ao universo sonoro de Carlos Paredes, num concerto que é um diálogo entre dois músicos excepcionais.

 

Não é a primeira vez que Bernardo Moreira dialoga com a música de Carlos Paredes. No seu novo disco, "Entre Paredes", esse diálogo é retomado num movimento de muitas aproximações ao imenso legado que o músico de Coimbra nos deixou.

 

Bernardo Moreira - Contrabaixo
João Moreira - Trompete
Tomás Marques - Saxofone alto e soprano
Ricardo J. Dias - Piano
Mário Delgado - Guitarra
Joel Silva - Bateria

27
Nov21

NOVO ÁLBUM: "Badiu" - Dino D'Santiago

 

Dino D'Santiago regressa com um novo trabalho de originais, intitulado "Badiu". Natural de Quarteira, no Algarve, é filho de cabo-verdianos, da ilha de Santiago. «O conjunto de canções que compõe este álbum foi inspirada na jornada do povo Badiu do interior da ilha de Santiago até às metrópoles da América e Europa, até à minha Quarteira umbilical", explica Dino D'Santiago. «A música é o grande passaporte da cultura cabo-verdiana no mundo. Presente em todos os momentos marcantes da história do país, é através dela que as memórias ancestrais são catalogadas e transportadas para o futuro. Estou mais optimista do que nunca com o futuro, disposto a dar voz à poesia mas também à vida, tal como ela é, bela e trágica.»

 

Como tem vindo a acontecer desde "Mundu Nôbu", o autor de "Nova Lisboa" volta a assinar a produção executiva ao lado de Kalaf Epalanga e Seiji. Para além dos produtores com quem tem vindo a colaborar frequentemente - Nosa Apollo, Toty Sa'Med ou Branko-, a viagem sónica e afro-futurista deste "Badiu" conta também com contribuições preciosas de vários nomes, tanto a nível da produção, como da composição ou interpretação.

 

27
Nov21

DOC TV: Fados (RTP2 - 23h20)

Fados

 

Ano: 2007

Realização: Carlos Saura (Espanha)

Produção: Fado Filmes (Ivan Dias e Luís Galvão Teles)

 

Com: Mariza, Camané, Carlos do Carmo, Chico Buarque (Brasil), Caetano Veloso (Brasil), Cuca Roseta, Catarina Moura, Lila Downs (México), Toni Garrido (Brasil), Lura, Miguel Poveda (Espanha), Argentina Santos, Ana Sofia Varela

 

Sinopse: Celebração à excelência da cultura portuguesa, Património Imaterial da Humanidade. Obra-prima do galardoado cineasta espanhol Carlos Saura, "Fados" é um encontro de culturas que há séculos convivem na Península Ibérica, partilhando geografias e influências. 

 

Último episódio da trilogia da canção urbana, que inclui "Flamenco" (1995) e "Tango" (1998), "Fados" propõe captar a natureza intangível da "saudade" portuguesa e retratar o espírito português através da sua música mais emblemática. 

 

Tendo Lisboa como cenário, o filme explora as relações profundas entre a música, a cidade e a evolução do Fado ao longo da história, das origens africanas e brasileiras à nova geração de Fadistas. Com supervisão musical de Carlos do Carmo, congrega o melhor dos novos talentos portugueses, como Mariza ou Camané, recorda Amália Rodrigues, lendas internacionais como Caetano Veloso e Chico Buarque, e outros intérpretes como Lila Downs e Lura.

 

Recorrendo a imagens de Lisboa captadas pelo português Eduardo Serra (duas vezes nomeado para um Óscar da Academia), à direcção de fotografia de José Luis López-Linares (vencedor do Goya com "Ibéria" e "Salomé") e às aclamadas coreografias de Patrick de Bana e Pedro Goucha Gomes, a realização magistral de Carlos Saura deixa o espectador concentrar-se no essencial: a emoção.

 

No dia em que se comemoram 10 anos da elevação do Fado a Património Imaterial da Humanidade, a RTP2 exibe um documentário, realizado pelo espanhol Carlos Saura, que celebra a canção nacional.   

 

Pág. 1/12

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub