Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

alma-lusa

alma-lusa

31
Jan19

NOVO ÁLBUM: "Encontro" - Amália & Don Byas

encontro amalia.jpg

 

«Há 50 anos, numa tarde prodigiosa, de um só fôlego, quase sem ensaios, era gravado um disco, a que depois chamaram "Encontro".



Uma tarde que foi também uma espécie de remate às sessões de gravação, lendárias, que Amália fez com o Conjunto de Guitarras de Raul Nery. Encontro entre dois improvisadores brilhantes, entre o Fado e o Jazz, entre Amália e (o norte-americano) Don Byas, idealizado por Luiz Villas-Boas. Encontro de grande modernidade que foi um dos mais notáveis percursores dessa moda, depois tão vulgarizada, da fusão entre géneros musicais. E se, para muitos, o saxofone de Don Byas foi – tal como o piano de Alain Oulman tinha sido, anos antes –, apenas um intruso num "disco de Amália", ninguém hoje pode negar o quanto ele inspirou, e até aguçou, um dos momentos mais virtuosos e inventivos da cantora.



Acima de tudo, "Encontro", mais do que alcançar uma perfeita fusão entre dois mundos, como tantos ainda hoje lamentam não ter alcançado, realça de forma exemplar a universalidade absoluta de Amália enquanto intérprete vocal. Foi essa musicalidade excelsa que cativou Don Byas, nessa tarde, e despertou, na sua intuição de grande músico, a vontade de transformar-se "apenas" em mais um dos seus acompanhadores. E mostrar-nos também, nos solos que preenchem tão distintamente as pausas do canto de Amália que, mesmo vindo do Jazz e sem dominar de todo a linguagem do Fado, consegue "estilar" com tanta melancolia.



Por esses solos, pelo respeitoso "acompanhamento" que faz à linha de canto de Amália, talvez mais perfeita aqui do que nunca, e pelo tão clássico cenário que o Conjunto de Guitarras de Raul Nery lhes propicia, este Encontro só pode suscitar mais uma nota: Ah! Fadistas!» (Frederico Santiago)

 

luiz villas boas amália.png

 

 

30
Jan19

VISITA GUIADA - Casa Roque Gameiro (Amadora)

A casa que o aguarelista Alfredo Roque Gameiro manda fazer para si e para a sua família, em 1898, é testemunho do gosto e do ideário da elite nacionalista do Portugal fim de século. Traçada pelo risco do próprio Roque Gameiro, a casa teve importantes contributos do grande Rafael Bordalo Pinheiro e de Raul Lino, o inventor da "Casa Portuguesa". Mas a Casa Roque Gameiro foi, acima de tudo, o ninho e o ateliê da chamada "Tribo dos Pincéis": todos os cinco filhos de Roque Gameiro foram treinados como artistas e quase todos marcaram a paisagem estética da primeira metade do séc. XX português. Se considerarmos que duas das filhas de Alfredo Roque Gameiro se casam também com artistas relevantes - Leitão de Barros e Martins Barata - e que, até hoje, a Tribo continua a dar ao mundo artistas, estamos face a um caso raro na História da Arte portuguesa. Luís Cabral, curador de uma exposição sobre a Tribo dos Pincéis e bisneto de Alfredo Roque Gameiro, é o nosso guia nesta Visita à vida, obra e prole do maior nome da aguarela em Portugal.

 

 

 

30
Jan19

JOGO AMIGÁVEL FUTSAL: Portugal x Brasil (RTP1 - 21h55)

A imagem pode conter: 5 pessoas, texto

 

A Selecção Portuguesa de Futsal Masculino, campeã europeia, defronta a congénere brasileira, pentacampeã mundial, num jogo amigável, no Pavilhão João Rocha, em Lisboa.

 

Este é o primeiro de dois jogos de preparação, entre Portugal e Brasil, para a qualificação para o Campeonato Mundial de 2020.

28
Jan19

LETRAS LUSAS: "O Processo Violeta", de Inês Pedrosa

Resultado de imagem para livro ines pedrosa o processo violeta

 

 

Editora: Porto Editora

 

Sinopse: No Portugal festivo e individualista do fim da década de 80, Violeta, uma professora de 32 anos, engravida de Ildo, um aluno de 14 anos, filho de uma mãe solteira cabo-verdiana. O Insubmisso, novo jornal de uma elite em ascensão, perseguirá a história e descobrirá que o pai de Ildo é um cavaleiro tauromáquico aristocrata. O escândalo do chamado processo Violeta contrastará com o silêncio absoluto através do qual Ana Lúcia, amiga de Violeta, oculta a sua violação por um outro aluno de 14 anos da mesma escola. Este romance apaixonante interroga, com inteligência, imaginação e humor, os interditos de uma sociedade que se diz livre e despida de preconceitos. O processo Violeta é, afinal, o de um país de hábitos clandestinos, esconsos, sacrificiais e crepusculares.

 

Resultado de imagem para ines pedrosa

 

Inês Pedrosa nasceu em Coimbra, em 1962. Tem uma vasta obra de ficção, crónica, dramaturgia e biografia, na qual se destacam os romances "Nas Tuas Mãos" (1997, Prémio Máxima de Literatura), "Fazes-me Falta" (2002, mais de 150 mil exemplares vendidos), "A Eternidade e o Desejo" (2007, finalista dos Prémios Portugal Telecom e Correntes d’Escritas), "Os Íntimos" (2010, Prémio Máxima de Literatura), "Dentro de Ti Ver o Mar" (2012) e "Desamparo" (2015). Livros seus estão publicados nos Estados Unidos da América, na Alemanha, no Brasil, na Croácia, em Espanha e em Itália. O seu percurso jornalístico foi distinguido com vários prémios. Dirigiu a Casa Fernando Pessoa entre 2008 e 2014. Trabalha também como tradutora e curadora de eventos literários. Participa no programa semanal de debate político "O Último Apaga a Luz" (RTP3) e no programa semanal de debate sobre literatura "A Páginas Tantas" (Antena 1). É autora e realizadora do programa semanal sobre questões de género "Um Homem, Uma Mulher" (Antena 1). Em 2017 lançou uma editora, Sibila Publicações. O "Processo Violeta" é o seu mais recente romance.

26
Jan19

ESTÚDIO 24: Festival Às Vezes o Amor - Cuca Roseta e João Pedro Pais (TVI24/ domingo, 27 - 21h05)

Resultado de imagem para cuca roseta as vezes o amor

 

O Festival Às Vezes O Amor começa no Estúdio 24 da TVI. No próximo domingo, 27 de Janeiro, Cuca Roseta e João Pedro Pais vão estar no Estúdio 24 a apresentar este evento musical que começa no Dia dos Namorados, a 14 de Fevereiro, e termina apenas dia 16, em 17 cidades, de norte a sul do país, para celebrar o dia de São Valentim ao som de grandes nomes da música nacional.

 

Aurea, Cuca Roseta, David Fonseca, Diogo Piçarra, José Cid, Luísa Sobral, Raquel Tavares, Xutos & Pontapés, Amor Electro, Herman José, HMB, João Pedro Pais, Mafalda Veiga, Miguel Araújo, Sara Tavares, The Gift e Tiago Bettencourt são os escolhidos para aquecer os palcos e os corações.

 

Cuca Roseta continua o seu caminho, descobrindo-se e revelando-se plenamente, como intérprete, autora, compositora, letrista, mulher inteira no fado. Subirá ao palco do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, para apresentar um concerto especial para celebrar o Dia dos Namorados.  João Pedro Pais tem vinte anos de carreira, milhares de discos vendidos, centenas de concertos esgotados e, acima de tudo, um acervo de canções notáveis que continuam a soar bem e a fazer sentido. Verdadeiros clássicos que se voltam a ouvir e a descobrir tão vitais e inspiradores como da primeira vez.

 

 

Pág. 1/8

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D