Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

alma-lusa

alma-lusa

26
Nov16

CINE ESTREIA: "Sofia Areal: Um Gabinete Anti-Dor", de Jorge Silva Melo (Teatro São Luiz, Lisboa - 28 Novembro, 18h30)

sofia areal.jpg

 

Realização: Jorge Silva Melo

Imagem: José Luís Carvalhosa

Assistente de Imagem: Paulo Menezes

Som: Armanda Carvalho

Montagem: Vítor Alves e Miguel Aguiar

Produção: Artistas Unidos/RTP

 

Sinopse: Sofia Areal, pintora, é um caso singular. A sua pintura é expansiva, aberta, solar, vital, afirmativa, não recua perante o "belo" ou "a alegria". "É uma promessa de felicidade?", perguntei-lhe. "Ou é mesmo a felicidade.", respondeu. Este é um filme ao seu lado, a seguir o seu fazer. Aqui quis ver a Sofia Areal pensar pintando, pintar pensando. Pois nela, "o que em mim pensa está pintando", é o seu ofício, o dessa mão que todos os dias faz a alegria. E eu preciso tanto da sua pintura. Que, como ela diz, "é uma questão de sobrevivência." (Jorge Silva Melo)

 

 

Jorge_Silva_Melo,_feb_2009.jpg

 

Jorge Silva Melo nasceu em Lisboa, em 1948. Estudou na London Film School. Fundou e dirigiu, com Luís Miguel Cintra, o Teatro da Cornucópia (1973/79). Bolseiro da Fundação Gulbenkian, estagiou em Berlim junto de Peter Stein e em Milão junto de Giorgio Strehler. É autor do libreto de Le Château dês Carpathes (baseado em Júlio Verne) de Philippe Hersant, das peças Seis Rapazes Três Raparigas; António, Um Rapaz de Lisboa; O Fim ou Tende Misericórdia de Nós; Prometeu; Num País Onde Não Querem Defender os Meus Direitos, Eu Não Quero Viver baseado em Kleist; de Não Sei (em colaboração com Miguel Borges ) e O Navio dos Negros. Fundou, em 1995, a sociedade Artistas Unidos de que é director artístico. Realizou longas e curtas-metragens e documentários. Traduziu obras de Carlo Goldoni, Luigi Pirandello, Oscar Wilde, Bertolt Brecht, Georg Büchner, Lovecraft, Michelangelo Antonioni, Pier Paolo Pasolini, Heiner Müller e Harold Pinter.
 
 
Filmografia:
 
Sofia Areal: Um Gabinete Anti-Dor (documentário, 2016)
Ainda Não Acabámos: Como se fosse uma carta (documentário, 2016)

Ana Vieira: E o que não é visto (curta-metragem, 2011)

Ângelo de Sousa: Tudo o que sou capaz (documentário, 2010)

Bartolomeu Cid dos Santos: Por Terras Devastadas (2009)

António Sena - A Mão Esquiva (documentário, 2009)

A Felicidade (curta-metragem, 2009)

A Gravura: Esta Mútua Aprendizagem (documentário, 2008)

Nikias Skapinakis: O Teatro dos Outros (documentário, 2008)

Álvaro Lapa: A Literatura (documentário, 2008)

As Conversas de Leça em casa de Álvaro Lapa (documentário, 2006)

Conversas com Glicínia (documentário, 2004)

António, Um Rapaz de Lisboa (2002)

A Marca de Bravo (documentário, 1999)

A Entrada na Vida (documentário, 1997)

Coitado do Jorge (1993)

Agosto (1988)

Ninguém Duas Vezes (1984)

Passagem ou a Meio Caminho (1980)

E não se pode exterminá-lo? (telefilme, 1979)

25
Nov16

LETRAS LUSAS: "A Gorda", de Isabela Figueiredo

a_gorda.jpg

 

Editora: Caminho

 

Sinopse: Maria Luísa, a heroína deste romance, é uma bela rapariga, inteligente, boa aluna, voluntariosa e com uma forte personalidade. Mas é gorda. E isto, esta característica física, incomoda-a de tal modo que coloca tudo o resto em causa. Na adolescência sofre, e aguenta em silêncio, as piadas e os insultos dos colegas, fica esquecida, ao lado da mais feia das suas colegas, no baile dos finalistas do colégio. Mas não desiste, não se verga, e vai em frente, gorda, à procura de uma vida que valha a pena viver.

 

A minha fotografia

 

Isabela Figueiredo nasceu em Lourenço Marques, Moçambique, hoje Maputo, em 1963, filha de portugueses oriundos da zona Centro-Oeste de Portugal. Após a independência de Moçambique, em 1975, rumou a Portugal. Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Especializou-se em Estudos sobre as Mulheres, na Universidade Aberta. Trabalhou como jornalista, no Diário de Notícias, entre 1988 e 1994, onde foi também coordenadora do suplemento DN Jovem. É professora de português no ensino secundário. Escreveu Conto É Como Quem Diz, obra que recebeu o primeiro prémio da Mostra Portuguesa de Artes e Ideias, em 1988, e Caderno de Memórias Coloniais, publicado em 2009 pela editora Angelus Novus, posteriormente revisto e reeditado pela Caminho em 2015. Escreve regularmente para o seu blogue Novo Mundo (http://novomundoperfeito.blogspot.com), bem como para a Imprensa.

 

25
Nov16

Porto/Post/Doc (Porto - 26 Novembro a 4 Dezembro)

porto_post_doc.jpg

 

 

http://www.portopostdoc.com/

 

 

O Porto/Post/Doc é um festival que pretende captar o mundo sob o olhar do cinema e trazê-lo para a cidade. As duas primeiras edições do Porto/Post/Doc celebraram o melhor do cinema contemporâneo e provaram que é possível fazer um novo festival no Porto. A terceira edição decorrerá de 26 de Novembro a 4 de Dezembro, no Teatro Municipal Rivoli, Passos Manuel e Maus Hábitos. O Porto/Post/Doc contará com uma selecção de cerca de 100 filmes, que será acompanhada por diversos debates, masterclasses, sessões de Q&A, festas, concertos e muitos outros eventos. Será um encontro entre público e profissionais, uma experiência única de partilha e fruição artística durante nove dias.

 

25
Nov16

Vodafone Mexefest (Avenida da Liberdade, Lisboa - 25 e 26 Novembro)

vodafone-mexefest-2016-1200.jpg

 

 

http://www.vodafonemexefest.com/

 

O Vodafone Mexefest está de volta à Avenida da Liberdade, em Lisboa. Os dias 25 e 26 de Novembro farão mexer a cidade e uma das suas principais artérias. A correnteza de sons e gente inundará a longa Avenida enchendo muitos dos seus espaços com os melhores artistas – de múltiplos géneros - da música alternativa. São mais de 50 artistas, nacionais e internacionais, em 14 espaços únicos da maior avenida da capital. 

 

25
Nov16

CINE TV: Quarta Divisão (RTP1/ sábado, 26 - 00h00)

 

Ano: 2013

Realização e Argumento: Joaquim Leitão

Produção: Tino Navarro

Música: Luís Cília

 

Elenco: Carla Chambel, Paulo Pires, Cristina Câmara, Sabri Lucas, Filipe Vargas, João Baptista, Adriano Luz, Marco Paiva, Martim Barbeiro

 

Sinopse: Um dia, uma criança de 9 anos, Martim Cabral e Melo, desaparece do colégio privado onde estuda. A Quarta Divisão da Polícia monta uma grande operação de busca por toda a cidade para o encontrar. Todas as hipóteses são possíveis: o que aconteceu? Este é o ponto de partida para uma complexa teia de acontecimentos, que vai revelar a verdadeira faceta de quem menos se espera.

 

25
Nov16

ALTA DEFINIÇÃO - António Zambujo (SIC/ sábado, 26 - 14h05)

ad zambujo.jpeg

 

 

Alentejano de gema, o próximo convidado de Daniel Oliveira tem-se destacado na área da música com temas que nos chegam pela rádio.

 

Comendador da Ordem do Infante D. Henrique desde 2015, António Zambujo enche auditórios, anfiteatros e todos os locais por onde passe. 

 

Sábado, a partir das 14h05, revela as intimidades que poucos conhecem numa entrevista em Alta Definição onde não fica de fora a sua relação com a avó que o educou quando era pequeno.

25
Nov16

TV: José Cid no Coliseu do Porto (RTP1 - 23h45)

jose cid 3.jpg

 

 

Prepare-se para uma grande festa na mítica sala do Coliseu do Porto!

 

Um concerto invulgar, porque foi mais uma festa com o mítico José Cid que, com mais de 50 anos de carreira, nos levou numa viagem pelas músicas do nosso imaginário colectivo, durante quase três horas.

24
Nov16

CINE ESTREIA: "Uma Breve História da Princesa X", de Gabriel Abrantes

a brief history.jpg

 

 

Realização e Argumento: Gabriel Abrantes

Elenco: Joana Barrios, Francisco Cipriano, Filipe Vargas, Máximo Francisco, João Pedro Vale, Gabriel Abrantes (voz)

 

Sinopse: Um retrato delirante da escultura "Princesa X", do romeno Constantin Brancusi, uma controversa escultura em bronze, que começou como um busto da igualmente controversa sobrinha-bisneta de Napoleão, Marie Bonaparte.

 

Prémio: Prémio "BLIT" para Melhor Realizador Português na Competição Nacional do Festival Curtas de Vila do Conde 2016

 

A curta-metragem documental "Uma Breve História da Princesa X", de Gabriel Abrantes, é exibida em complemento do documentário "Eis o Admirável Mundo em Rede", do realizador alemão Werner Herzog.

 

 

 

 

Gabriel Abrantes, filho de portugueses, nasceu na Carolina do Norte, EUA, em 1984. Em 2006, concluiu um BA em Cinema e Artes Visuais na Cooper Union for the Advancement of Science and Art, em Nova Iorque. Em 2005/2006 estudou na École Nationale des Beaux-Arts, em Paris, e, em 2007, estudou em Le Fresnoy Studio National des Arts Contemporains, Tourcoing, França. Em 2010 funda, com Natxo Checa e a ZDB, A Mutual Respect Productions, uma companhia de produção cinematográfica, tendo já sido realizadas várias curtas-metragens e uma longa-metragem. Os filmes estrearam em festivais - Bienal de Veneza, Festival de Cinema de Locarno, Festival de Cinema de Toronto - e foram exibidos no MIT List Center for Visual Arts, no Palais de Tokyo, no Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris e no Centre Pompidou, Paris. Os filmes de Gabriel Abrantes têm ganho inúmeros prémios. Palácios de Pena ganhou o prémio do filme com melhor narrativa no Ann Arbour Film Festival e no Chicago Underground Film Festival, em 2012. Liberdade ganhou o Prémio de Filme e Vídeo do Festival de Cinema de Locarno em 2011 e o Prémio da Melhor Realização em Curta-metragem no Indie Lisboa 2011. A History of Mutual Respect ganhou o Pardino d’Oro da Melhor Curta-metragem do Festival de Cinema de Locarno em 2010, o Melhor Filme Português no Indie Lisboa 2010 e a Melhor Curta-metragem experimental no Festival de Cinema de Melbourne. Visionary Iraq ganhou o Prémio de Novos Talentos no IndieLisboa 2009. Gabriel Abrantes ganhou o Prémio EDP Novos Artistas em 2009 com a vídeo instalação Too Many Daddies, Mommies and Babies. Em 2012 ensinou Cinema, na HEAD, Haute École d' Art et de Design de Genebra. Vive e trabalha actualmente em Lisboa.

 

Filmografia:

 

Uma Breve História da Princesa X (curta-metragem documental, 2016)

Aqui, em Lisboa - Episódios da Vida de uma Cidade (2016)

Freud und Friends (curta-metragem, 2015)

Taprobana (curta-metragem, 2014)

Ennui ennui (curta-metragem, 2013)

Zwazo (curta-metragem, 2012)

Fratelli (curta-metragem, 2011)

Palácios de Pena (2011)

Baby Back Costa Rica (curta-metragem, 2011)

Liberdade (curta-metragem, 2011)

A History of Mutual Respect (curta-metragem, 2010)

Visionary Iraq (curta-metragem, 2009)

Too Many Dadies, Mommies and Babies (curta-metragem, 2009)

Arabic Hare (curta-metragem, 2008)

Olympia 1 & 2 (curta-metragem, 2007)

 

 

24
Nov16

TV: "Desportos Impossíveis" - Ultimate Beach Frisbee em Aveiro (A&E - 21h50)

desportos impossíveis.png

 

O episódio desta quinta-feira do programa "Desportos Impossíveis", do canal A&E, vem até Portugal e visita a cidade de Aveiro.

 

O programa "Desportos Impossíveis" é apresentado pelo espanhol Valentí Sanjuan, um desportista de elite muito peculiar e simpático. "Ironman", "Ultraman" e "Batman", como se auto-intitula, é um indivíduo habituado a enfrentar os desafios desportivos mais exigentes. É um autêntico "todo-o-terreno". No entanto, em "Desportos Impossíveis", sua as estopinhas todas as semanas com alguns dos desportos mais bizarros praticados em Espanha e também em Portugal: o chessboxing, o futebol céltico ou o hóquei subaquático são apenas três exemplos. São desportos pouco conhecidos, mas têm as suas próprias federações e são praticados por muitos adeptos. Valentí encara cada programa como um verdadeiro desafio: conhecer, avaliar e, finalmente, praticar cada um dos seis desportos, tentando ser suficientemente bom em cada um deles. 

 

O quarto episódio de "Desportos Impossíveis", emitido esta noite, destaca o Ultimate Beach Frisbee. O Frisbee não é só um divertimento de Verão. Por detrás da sua aparência simpática, esconde-se um dos desportos fisicamente mais exigentes da série. Valentí viaja até Aveiro, a pequena Veneza portuguesa, para aprender com Seb, o capitão da Selecção Portuguesa e um dos melhores jogadores da Europa, que o frisbee é mais perigoso do que parece.

 

ULTIMATE-BEACH-FRISBEE-2.jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D