Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

alma-lusa

alma-lusa

09
Jun15

Nuno Melo (1960 - 2015)

nuno-zap-pro.jpg

 

 

Faleceu hoje, aos 55 anos, vítima de doença oncológica, o actor Nuno Melo. 

 

Nuno Melo nasceu a 8 de Fevereiro de 1960, em Castelo Branco. Começou no teatro, em 1981, no Teatro de Animação de Setúbal, passando por companhias como Teatro da Cornucópia, Teatro Aberto ou Artistas Unidos. Estreou-se em televisão, em 1982, com um pequeno papel na telenovela "Vila Faia", na RTP. Em 1984, participou na telenovela "Chuva na Areia", onde interpretou "Caniço", personagem que alcançou um sucesso enorme e ainda hoje permanece na memória televisiva dos portugueses. 

 

Com uma longa carreira dividida pela televisão, teatro e cinema, Nuno Melo participou em vários projectos marcantes. Um dos de maior sucesso foi a série cómica "Camilo e Filho", com Camilo de Oliveira, exibida em 1995 e 1996, na SIC. Em 1989, participou também na série de humor "Casino Royal", de Herman José, na RTP. Nuno Melo trabalhou também no Brasil, tendo integrado o elenco da novela "Senhora do Destino", da Globo, em 2004/5. O seu último trabalho em televisão foi na telenovela "O Beijo do Escorpião", na TVI, em 2014. Em Novembro de 2014, estreou nas salas de cinema nacionais o filme "Virados do Avesso", com Nuno Melo no elenco.

 

Os últimos trabalhos de Nuno Melo, ainda por estrear, foram no cinema: "Adeus Carne", de Edgar Pêra; a curta-metragem "O Pecado de quem nos Ama", de Vasco de Oliveira; e o filme brasileiro "O Grande Circo Místico". Em 2012, venceu o Prémio Autores e o Globo de Ouro (ambos na categoria de Melhor Actor) pelo seu papel no filme "O Barão".

 

09
Jun15

TEATRO: Os Lusíadas (Teatro do Campo Alegre, Porto - 10 Junho)

lusíadas antónio fonseca.jpg

 

Concepção e Intepretação: António Fonseca

Intepretação do Canto X: 120 cidadãos de Braga, Felgueiras, Ovar e Porto

Vídeo Canto X: Micael Espinha

Espaço cénico: Marta Carreiras

Ambientes sonoros: Fernando Mota

Duração: 10 horas

 

Sinopse: Nos quase nove mil versos de "Os Lusíadas", de Luís Vaz de Camões, poema para ser entoado por recitadores e não analisado por gramáticos, como disse António José Saraiva, está uma música muito particular que é a Língua Portuguesa. Nos quase nove mil versos de "Os Lusíadas", está contida a narração de um tempo que mudou os tempos. De um tempo em que a percepção do mundo se alargou, e com ela se multiplicaram as interrogações sobre aquilo que julgávamos conhecer. Em cada um dos dez cantos da sua obra, Camões diz-nos da nossa condição de seres históricos. Investiga-nos, um a um, nas nossas ambições, no mais fundo das nossas convicções, na nossa sordidez e na nossa grandeza. Interroga, mais do que determina, a ideia de identidade colectiva e escreve em poema uma ficção maravilhosa que lhe propõe um sentido ao mesmo tempo grande e íntimo. António Fonseca decorou os oito mil oitocentos e dezasseis versos de "Os Lusíadas". Agora, convoca todos os portugueses para lhes renderem a justiça de os compreendermos e vivermos. Ao longo de dez horas, em pleno 10 de Junho.

09
Jun15

ESTREIA TV: DOP (RTP2/ 4ª, 10 - 23h35)

dop-rtp2.jpg

 

Esta quarta-feira, 10 de Junho, a RTP2 estreia a série documental "DOP". Da autoria da jornalista Anabela Saint-Maurice, este é um projecto documental que alerta para a importância do DOP (Denominação de Origem Protegida) nos produtos tradicionais portugueses.

 

Sal (4ª feira - 23h35)

 

Os salgados portugueses entraram em decadência a partir dos anos sessenta. Muitos deles estão abandonados, improdutivos, mas a memória perdura em Aveiro, na Figueira da Foz e no Algarve. E, no entanto, o comércio internacional de sal foi relevante durante séculos. Expandiram-se as marinhas nos estuários dos rios, a paisagem ficou marcada pelo traçado geométrico das salinas. Nos últimos anos, surgiu novo interesse pelo sal tradicional, pela flor de sal, por esse produto "gourmet" roubado às ondas salgadas da costa portuguesa. Mas será suficiente para inverter a tendência para o abandono?

 

Queijo (5ª feira - 23h30)

 

A partir dos anos 80, grande parte dos queijos portugueses foi classificada como DOP. A certificação DOP vigora em todo o espaço europeu, protege o nome, a origem e o modo de fabrico. Oferece garantias ao consumidor e promete uma certa qualidade. Saborear um DOP é pois viajar no tempo e no espaço da tradição portuguesa, viagem quase perfeita... Três grandes queijos - "Serra da Estrela", "São Jorge" e "Cabra Transmontana" - no documentário DOP. 

09
Jun15

ESPECIAL 10 JUNHO: Dia de Portugal - O Nosso Cinema (TVCine 2)

maias tv cine.png

 

 

Ao longo do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o TVCine 2 exibe filmes que marcam a filmografia recente nacional, a partir das 12h15, como "4 Curtas Portuguesas" (2013), "Fado Camané" (2014), "A Vida Invisível" (2014), "Até Amanhã, Camaradas" (2013), "Os Gatos Não Têm Vertigens" (2014) e "Sete Pecados Rurais"(2013). O grande destaque vai para "Os Maias – Cenas da Vida Romântica" (2014), de João Botelho, a primeira adaptação cinematográfica de um dos textos mais importantes da literatura portuguesa, o romance homónimo de Eça de Queiroz. O romance é um fresco fiel do que era um país atrasado, provinciano, perdido nas intrigas de salão e deslumbrado com o que vinha de fora. Uma estreia única no 10 de Junho, Dia de Portugal, que se junta nesta comemoração a outros filmes que mostram o que é Portugal.

 

 

 

"4 Curtas Portuguesas", de Jorge Cramez, João Nicolau, Telmo Churro, João Rosas (12h15)

 

Sinopse: A adolescência é o mote destas 4 Curtas. Cada uma delas explora o tema, pondo em cena jovens sozinhos ou em grupo, em várias situações: na escola, em férias, em tempo de exames ou perante um novo ambiente e uma nova existência.

 

 

 

 

"Fado Camané", de Bruno de Almeida (13h55)

 

Sinopse: Um documentário construído a partir de entrevistas com Camané, onde ele fala da música e dos poemas que canta, das origens do fado, da sua maneira de estar no fado e na vida. É também aqui documentada a gravação do aclamado álbum "Sempre de Mim".

 

 

 

"A Vida Invisível", de Vítor Gonçalves (15h10)

 

Sinopse: Hugo não consegue voltar a casa. Recorda as palavras de António, seu mentor, quando este lhe disse que estava a morrer. O desejo de Hugo em adivinhar o que teria ficado por dizer entre os dois traz-lhe outras memórias do passado.

 

 

 

 

"Até Amanhã, Camaradas", de Joaquim Leitão (16h50)

 

Sinopse: Portugal, 1944. Num país oprimido pela ditadura, há quem resista e se organize para mobilizar o povo para a luta, mesmo que possa custar a prisão ou até a vida. Adaptação da obra homónima de Manuel Tiago, que mostra o dia-a-dia desta luta clandestina.

 

 

 

"Os Gatos Não Têm Vertigens", de António-Pedro Vasconcelos (19h55)

 

Sinopse: Jó é expulso de casa pelo pai no dia em que faz anos. Sem ter sítio para onde ir, refugia-se no terraço do prédio de Rosa, que acabou de perder o marido. Ele tem 18 anos e ela 73. Quem diria que ia ser amor à primeira vista?

 

 

 

"Os Maias - Cenas da Vida Romântica", de João Botelho (22h00)

 

Sinopse: Entre Afonso da Maia e o seu neto Carlos, constrói-se o último laço forte da velha família Maia. Formado em Medicina na Universidade de Coimbra e educado numa longa viagem pela Europa, Carlos da Maia regressa a Lisboa em 1875, para grande alegria do avô.

 

 

 

"7 Pecados Rurais", de Nicolau Breyner (01h05)

 

Sinopse: Quim e Zé esbardalham-se fatalmente num rebanho de ovelhas. Quando chegam ao Céu, Deus oferece-lhes uma segunda oportunidade de voltar a Curral de Moinas. Têm é de Lhe provar que abdicam de uma vida libertina, renunciando aos 7 pecados capitais.

 

 
09
Jun15

ESPECIAL 10 JUNHO - Cerimónias Oficiais/ A Canção de Lisboa (RTP1)

10 junho lamego 2015.jpg

 

Cerimónias Oficiais do 10 de Junho (09h30)

 

A cidade de Lamego vai receber o 10 de Junho, comemorando o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, designou a cidade de Lamego como sede das Comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas 2015.


Lamego recebe assim, pela primeira vez, as cerimónias do dia 10 de Junho, no último ano em que o Presidente da República Cavaco Silva presidirá às comemorações, por terminar o mandato como Presidente da República em Março de 2016. Aníbal Cavaco Silva, desde que tomou posse como Presidente da República, a 9 de Março de 2006, escolheu cidades diferentes para as comemorações do dia 10 de Junho: Porto (2006), Setúbal (2007), Viana do Castelo (2008), Santarém (2009), Faro (2010), Castelo Branco (2011), Elvas (2013) e Guarda (2014).

 

As cerimónias oficias do 10 de Junho serão transmitidas em directo na RTP1 e também nos canais de informação SIC Notícias e TVI24.

 

 

Cl_casamento.jpg

 

 

"A Canção de Lisboa" (14h15)

 

Ano: 1933

Realização e Argumento: Cottinelli Telmo

Música: Raul Portela e Raul Ferrão

Elenco: Vasco Santana, Beatriz Costa, António Silva, Teresa Gomes, Sofia Santos, Manoel de Oliveira, Silvestre Alegrim, Manuel Santos Carvalho

 

 

 

Sinopse: Vasco Leitão (Vasco Santana), estudante de Medicina em Lisboa, vive da mesada de umas tias de Trás-os-Montes que nunca foram à capital e o consideram um excelente aluno. O Vasco, porém, prefere os retiros de fado, os arraiais, os bailes e as mulheres bonitas. Especialmente Alice (Beatriz Costa), uma costureira do Bairro dos Castelinhos, o que não agrada ao seu pai, o intratável alfaiate Caetano (António Silva), que conhece bem o rol das dívidas do Vasco e a sua vida de boémio. Um dia, o Vasco chumba no exame, é posto pelo seu senhorio na rua e, para cúmulo, aparecem as tias...

 

Cottinelli Telmo é aquilo que se pode chamar um caso singular do Cinema Português. Arquitecto de formação, assina o primeiro filme sonoro em Portugal, que é também a sua única longa-metragem já que morreu prematuramente. "A Canção de Lisboa" é ainda a primeira grande comédia populista do cinema português, o género de maior sucesso de sempre em todo o cinema nacional, e hoje continua a ser aclamado como um filme de culto. Dos diálogos inspirados ao humor irresistível, onde a tradição da Revista e a comédia de costumes se fundem de forma notável, "A Canção de Lisboa" é, sem exagero, um dos mais célebres e admiráveis filmes portugueses de sempre, a que não é alheio o talento de um elenco portentoso com o mítico trio Vasco Santana/Beatriz Costa/António Silva à cabeça.

 

09
Jun15

ESPECIAL 10 JUNHO - Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas (RTP Memória)

Dia-de-Portugal-Camões-e-das-Comunidades-Portugue

 

 

O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas comemora-se a 10 de Junho. Este é o dia em que se evoca a Língua Portuguesa, o cidadão nacional e se assinala a morte de Luís Vaz de Camões, o autor d'"Os Lusíadas", um dos maiores vultos da literatura do país e espelho da cultura e da identidade de um povo.

 

Para assinalar a data, a RTP Memória preparou uma programação especial que irá emitir ao longo do dia.  No dia 10 de Junho, os discursos, os documentários, as reportagens, a poesia, a música e as variedades encontram na RTP Memória um espaço de celebração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

 

 

DISCURSOS NO 10 DE JUNHO

 

Jorge de Sena (1977) – 07h00
David Mourão Ferreira (1980) – 08h00
Agustina Bessa-Luís (1981) – 09h00
J
osé Azeredo Perdigão (1982) – 10h00
Eduardo Lourenço (1996) – 11h00
Alçada Baptista (1997) – 12h00
João Bénard da Costa (2008) – 13h00
António Barreto (2011) – 14h00
Sampaio da Nóvoa (2012) – 16h00
Silva Peneda (2013) – 17h00

 

 

DOCUMENTÁRIO

 

"Feriados Nacionais" – 09h15 / 20h45
"Este Portugal que Somos – A Raça" (1978) – 13h15
"Este Portugal que Somos – Portugal e o Estrangeiro" (1978) – 13h15
"Efeitos da emigração na língua e na arquitectura popular" (2009) – 15h45
"A Emigração Portuguesa" (1975) – 20h15
"Pare, Escute e Olhe – Camões" (1981) – 21h30
"Quem és tu, Luís Vaz?" – 22h05

 

SÉRIE

 

"A Alma e a Gente – A Pátria dos Emigrantes" (2008) 10h15
"A Alma e a Gente – Terra Longe-Terra Perto" (2008) 10h15


REPORTAGEM

 

"A Batalha dos Portugueses por Paris" – 01h30


VARIEDADES

 

"Riso e Ritmo" (1965) – 19h15

 

POESIA

 

"Grandes Livros: Os Lusíadas" – 08h15 / 16h15
"Palavras Ditas – Esta é a ditosa pátria  minha amada" (1984) – 21h15

 

08
Jun15

"História a História" (RTP2) - Os Escravos e a Escravatura em Portugal

No séc. XVI, 1/10 da população lisboeta seria escrava e Portugal liderava o comércio de escravos na Europa. Nas oficinas, no artesanato, no trabalho rural, nas casas e nos portos, a escravatura fazia parte da sociedade. Só vários séculos mais tarde se adoptariam as primeiras medidas abolicionistas. As marcas culturais e ideológicas desta triste herança permanecem até aos dias de hoje.

 

08
Jun15

Portugal sagra-se vice-campeão mundial de surf

team_portugal_nelly.jpg

 

A Selecção Nacional

 

Portugal sagrou-se, este domingo, vice-campeão mundial no ISA World Surfing Games, competição de surf que se disputou na Nicarágua, de 31 de Maio a 7 de Junho.

 

A selecção nacional era composta por 6 surfistas: Nicolau von Rupp, Vasco Ribeiro, Miguel Blanco, José Ferreira, Teresa Bonvalot e Camilla Kemp. A prestação portuguesa terminou da melhor maneira, com Nico von Rupp a conquistar a medalha de prata e sagrar-se vice-campeão mundial a nível individual. 

 

Além da medalha de prata em surf open de Nic von Rupp, as classificações individuais dos membros da selecção nacional foram as seguintes: Vasco Ribeiro (13º surf open), Miguel Blanco (13º surf open), José Ferreira (25º surf open), Teresa Bonvalot (9º surf feminino) e Camilla Kemp (25º surf feminino).

 

Com a conjugação dos resultados dos atletas nacionais, Portugal conquistou o segundo lugar e a respectiva medalha de prata, apenas atrás da equipa da Costa Rica. Em terceiro lugar, ficou a equipa dos EUA, seguida pelo Peru. A fechar o top 5, ficou a selecção da Austrália.

 

finalist_man_nelly.jpg

Nicolau von Rupp conquistou a medalha de prata e subiu ao pódio

 

05
Jun15

VISITA GUIADA - Museu Abade de Baçal (Bragança)

O Museu Abade de Baçal, em Bragança, conta-nos muitas histórias. Em finais do séc. XIX, a Arqueologia foi moda em Portugal. Uma moda muito devedora ao orgulho nacional ferido pelo Ultimato Inglês e pelo falhanço do Mapa Cor-de-Rosa. Num contexto de profunda crise económica e identitária havia que reforçar o sentimento de orgulho patriótico e a Arqueologia participava nisso. Por todo o país, padres esgravatavam, achavam, guardavam e partilhavam entre si os mais diversos achados arqueológicos. No nordeste de Trás-os-Montes, a partir de finais do séc.XIX e até 1947, houve um desses padres que ficou para a história da Arqueologia e que fundou o mais importante museu da região. Museu que leva agora o seu nome: Abade de Baçal.

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D