Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017

fabrica nada cartaz.jpg

 

Realização: Pedro Pinho

Argumento: Pedro Pinho, Luísa Homem, Leonor Noivo, Tiago Hespanha

Direcção Fotografia: Vasco Viana

Música original: José Smith Vargas, Pedro Rodrigues

Produção: Terratreme Filmes (João Matos, Leonor Noivo, Luísa Homem, Pedro Pinho, Susana Nobre, Tiago Hespanha)

Locais rodagem: Alverca, Póvoa de Santa Iria e Vila Franca de Xira

 

Elenco: José Smith Vargas, Carla Galvão, Njamy Sebastião, Joaquim Bichana Martins, Danièle Incalcaterra, Hermínio Amaro, João Santos Lopes, Paulo Vitorino, Rui Ruivo, António Cajado Santos, Zé Pedro, Arlindo Miguel, Boris Nunes, Euclides Furtado, Fernando Lopes, Sandra Calhau, Ricardo Gonçalves, Dinis Gomes, Helena Cavacas Veríssimo, Carlos Garrido Santos, Américo Silva, Vasconcelos, António Rocha Pereira, Tristão Soares, Nuno Vieira, João Barbosa, David Pereira Bastos, Paulo Ganhão, Anselm Jappe, Matilde Gago da Silva, Toni, Isabel do Carmo, Roger Claustre, Sara Pinto, Mauro Airez, Crista Alfaiate, Tiago Hespanha, Vera Midões, Joana Pais de Brito, Miguel Perdigão, Patrícia Soso

 

Sinopse: Uma noite, um grupo de operários percebe que a administração está a roubar máquinas e matérias- primas da sua própria fábrica. Ao decidirem organizar-se para proteger os equipamentos e impedir o deslocamento da produção, os trabalhadores são forçados - como forma de retaliação - a permanecer nos seus postos sem nada que fazer enquanto prosseguem as negociações para os despedimentos. A pressão leva ao colapso geral dos trabalhadores, enquanto o mundo à sua volta parece ruir.

 

Prémios: Prémio FIPRESCI (Federação Internacional de Críticos de Cinema) no Festival de Cannes 2017 (França)

Prémio CineVision no Festival de Munique 2017 (Alemanha)

Prémio de Melhor Realização no Festival de Cinema de Duhok 2017 (Iraque)

Grande Prémio do Júri no CineFest - Festival Internacional de Cinema de Miskolc 2017 (Hungria)

 

 

 Pedro-Pinho.jpg

 

Pedro Pinho estudou na Escola de Teatro e Cinema, em Lisboa, e na Escola Louis Lumière, em Paris. Em 2005/2006 frequentou os cursos de Realização e Escrita da London Film School, na Fundação Calouste Gulbenkian.

 

Em 2008 co-realizou com Frederico Lobo o documentário de longa-metragem "Bab Sebta", que ganhou o prémio Marseille Esperance 2008 no FID MARSEILLE e os prémio de Melhor Filme no DOCLISBOA (Portugal) e FORUM DOC BH (Brasil). Foi considerado um dos 10 melhores filmes do ano pela revista Film Comment.

 

Em 2009 fundou com 5 colegas a produtora TERRATREME, que tem assumido um papel central na produção e promoção de novos realizadores no panorama do cinema português.

 

"Um Fim do Mundo" (2013) é a sua primeira média-metragem de ficção e estreou na 63ª Berlinale, no IndieLisboa e no Festival do Rio. Obteve alguns prémio em festivais portugueses e foi nomeado para Melhor Filme nos Globos de Ouro de 2014. Em 2014, Pedro Pinho co-dirigiu com Luísa Homem o documentário "As Cidades e as Trocas", que estreou no FID MARSEILLE, no DocLisboa e no THE ART OF THE REAL do Lincoln Center.

 

Actualmente trabalha como realizador, argumentista e produtor, tendo colaborado recentemente com Jorge Silva Melo, Filipa Reis e João Miller Guerra, João Salaviza e Leonor Noivo, entre outros. "A Fábrica de Nada" é a sua primeira longa-metragem de ficção.

 

Filmografia:

 

A Fábrica de Nada (2017)

As Cidades e as Trocas (documentário, 2014) c/Luísa Homem

Um Fim do Mundo (2013)

Bab Sebta (documentário, 2008) c/Frederico Lobo



publicado por Alma Lusa às 10:40
Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
16

17
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO