Sábado, 19 de Agosto de 2017

capa_lince_drops.jpg

 



publicado por Alma Lusa às 17:37
Sábado, 19 de Agosto de 2017

pedro moutinho.jpg

 

O Fado em Nós é isto. Vem cá de dentro. É Pedro Moutinho inspirado, maduro, eco de histórias do fado feitas nossas, quando nos sentimos delas. Em Nós estão evocações de uma Hermínia Silva ou de um Carlos Ramos. Estão poetas de sempre, como Fernando Pessoa ou Alexandre O'Neill, e as actualíssimas Manuela de Freitas, Amélia Muge ou Maria do Rosário Pedreira.


Pedro Moutinho faz aos temas tradicionais aquilo que a família faz quando nos transmite as suas características: o olhar da avó, o sorriso do tio, as mãos do pai. Reforça nessas semelhanças o que somos e o que temos de único e contemporâneo. Põe o fado ao espelho como nos põe a nós. Remete-nos para quem somos. Renova-se e renova-nos. Moderniza os nossos sentidos ao escutá-lo.


Pedro Moutinho regressou. Ouvi-lo é descobri-lo em nós.


É como sermos mais uma corda tensa de guitarra, vibrando, ficando a soar por dentro. Aqui e sempre. Um clássico.

 



publicado por Alma Lusa às 16:06
Sábado, 19 de Agosto de 2017

 

vidas.jpg

 

Ano: 1984

Realização e Argumento: António da Cunha Telles

Música: Tó Neto, Rão Kyao

 

Elenco: Maria Cabral, Carlos Cruz, Virgílio Castelo, Ana Coelho, Eduardo Geada, Hélder Costa, Hugo de Carvalho, João Franco, Júlia Correia, Miguel Franco, Paulo Branco, Pedro Lopes, Santos Manuel, Tino Navarro

 

Sinopse: Diana (Maria Cabral), jornalista desiludida, vive um amor absoluto e intemporal por Sérgio (Hélder Costa), um escritor céptico. O seu filho Pedro (Pedro Lopes) é para ela uma preocupação. Inconformista e ávido de descobertas, Pedro aventura-se pelos caminhos da marginalidade nocturna. Lina (Júlia Correia), companheira de Pedro, é uma jovem sagaz mas ofuscada por experiências originais. Lina vive na órbita protectora de Carlos (Paulo Branco), o proprietário de uma boîte onde se congeminam negócios pouco claros.

 

"Vidas", de António da Cunha Telles, é o filme que marca o regresso de Maria Cabral (1941 - 2017) ao cinema. De uma invulgar fotogenia, a primeira portuguesa a fazer capa da revista Elle francesa, a actriz Maria Cabral ficou para sempre associada ao Cinema Novo português, tendo participado em filmes como "O Recado" (1971) de José Fonseca e Costa, "O Cerco" (1970) de António da Cunha Telles e "Um Adeus Português" (1986) de João Botelho. Importante figura do cinema português, António da Cunha Telles retrata, em "Vidas", a geração do pós-25 de Abril de 1974, em Lisboa, em tempos de agitação política e transformação da sociedade.

 



publicado por Alma Lusa às 15:31
Sábado, 19 de Agosto de 2017

taipé portugal.jpg

 

De 19 a 30 de Agosto, mais de 9.000 atletas-estudantes universitários, oriundos de 190 países, competem em Taipé, na China Formosa, no que se pode considerar uns "mini-jogos olímpicos". É o maior evento multidesportivo do mundo universitário e Portugal marca presença com 65 atletas, de 11 modalidades. Susana Feitor lidera a comitiva portuguesa. 

 

Para Taipé 2017, as atenções centram-se em Rui Bragança, Joana Cunha (Taekwondo) e Filipa Martins (ginástica), atletas-estudantes que já venceram medalhas na edição anterior, em Gwangju, Coreia do Sul, em 2015.

 

Na 29ª edição das Universíadas estará uma das maiores comitivas de sempre e na qual se incluem duas modalidades colectivas: voleibol e basquetebol.

 

Em 50 anos de história de participação na competição promovida pela Federação Internacional de Desporto Universitário, Portugal conquistou 32 medalhas, 11 das quais de ouro.

 

Não perca, no Eurosport 2, as Universíadas, competição que revela algumas das promessas do desporto mundial. Atletismo, natação, ténis, ginástica, esgrima, golfe, tiro com arco são algumas das modalidades nas quais os atletas vão lutar pelas medalhas.

 



publicado por Alma Lusa às 14:30
Sábado, 19 de Agosto de 2017

 

Depois do Giro e do Tour, chega a vez de La Vuelta a España, a terceira e última das "Grandes Voltas" do calendário mundial de ciclismo.

 

Para a 72ª edição da Vuelta, o pelotão cumpre 3297.7 km divididos em 21 etapas e 23 dias, tendo os ciclistas apenas dois dias de descanso. Com partida em Nîmes, França, a Volta a Espanha promete ser muito dura. Um dos pontos altos da corrida acontece na 20ª etapa, com a subida ao Alto de l’Angliru, o "Colosso das Astúrias". Os ciclistas têm pela frente 12 km, com uma inclinação média de 10 por cento e, no ponto mais íngreme, de 23.5 por cento. 

 

Esta será a oportunidade para ver Alberto Contador em acção pela última vez. O espanhol, considerado por muitos como um dos melhores ciclistas de sempre, coloca um ponto final na carreira após a conclusão da Vuelta. Quem sabe se "El Pistolero" pode encerrar a sua prestação com "chave de ouro" conquistando a sua quarta Vuelta da carreira?

 

Ciclistas portugueses não vão faltar a esta prova. Para esta edição, estão inscritos Rui Costa, José Gonçalves, Nelson Oliveira e Rafael Reis. 

 

Acompanhe as emoções da Volta a Espanha na TVI24 e Eurosport 1.



publicado por Alma Lusa às 14:15
Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

 



publicado por Alma Lusa às 17:32
Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

pedro mestre ccb.jpg

 

Nascido há menos de 34 anos na aldeia de Sete, em Castro Verde, Pedro Mestre é um dos mais ardentes arautos das tradições do Alentejo. Com a sua viola campaniça e com o cante alentejano, recentemente elevado a Património Imaterial da Humanidade, este músico juntou ao vivo no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, uma série de nomes para quem as tradições são algo em constante transformação. Assim, este concerto apresenta Janita Salomé, Jorge Fernando, Fábia Rebordão, os Quatro ao Sul ou ainda o Rancho de Cantadores da Aldeia Nova de São Bento, entre outros convidados. "Vamos lá saindo por esses campos fora"!

 

Passados vinte anos, desde que iniciou o seu percurso musical, Pedro Mestre aposta pela primeira vez num trabalho a solo, "Campaniça do Despique", que evoca o mais genuíno toque da viola campaniça, que desde sempre acompanhou os cantes de improviso do Alentejo.

 

"Campaniça do Despique" é o título do álbum, e do concerto, que Pedro Mestre apresentou no dia  22 de Setembro de 2015, no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Com uma plateia esgotada, o concerto evocou o mais belo do Cante Alentejano e o genuíno toque da viola campaniça, que desde sempre acompanhou os cantes de improviso no Alentejo, que surgiam de modo espontâneo em festas, romarias, nas tabernas e que ainda hoje acontecem, embora de modo organizado e performativo.
 
 
Próximos concertos:
 
26 Agosto - Custóias (Matosinhos)
31 Agosto - Castro Verde

 



publicado por Alma Lusa às 11:17
Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

campo pequeno 125 anos.jpg

 

Esta sexta-feira, a Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa, comemora o 125º aniversário e vai celebrá-lo em grande!

 

O programa de festejos inclui a actuação da Charanga a cavalo da GNR, a entrega do selo dos CTT comemorativo da efeméride, a actuação dos fadistas Camané e Nathalie e uma Corrida de Toiros à Portuguesa, que será transmitida em directo na TVI.

 

A Corrida de Toiros à Portuguesa, com transmissão na TVI, contará com as actuações dos cavaleiros João Moura, António Ribeiro Telles e Luís Rouxinol e dos forcados amadores de Montemor e Lisboa. 

 

campo pequeno portuguesa.jpg



publicado por Alma Lusa às 10:39
Segunda-feira, 14 de Agosto de 2017

LUMEN_cartaz_web.png

 

Sinopse: "LÚMEM - Uma História de Amor" é a mais recente e ambiciosa produção da companhia S.A. Marionetas, que será apresentada em três sessões, nos dias 17, 18 e 19 de Agosto, em Alcobaça. O espectáculo tem início em frente aos Paços do Concelho e, posteriormente, decorre junto ao Mosteiro de Alcobaça, eleito pela UNESCO Património da Humanidade e uma das Sete Maravilhas dos Monumentos de Portugal, numa encenação que enaltece o amor e o conhecimento. 

 



publicado por Alma Lusa às 19:14
Segunda-feira, 14 de Agosto de 2017

antonio e catarina.jpg

"António e Catarina"

 

De 2 a 12 de Agosto, decorreu a 70ª edição do Festival de Locarno, na Suíça, um dos mais importantes festivais de cinema a nível mundial e, no fim, o cinema português voltou a ser premiado.

 

O documentário "António e Catarina", produzido pela Terratreme Filmes e realizado pela romena Cristina Hanes, venceu o Leopardo de Ouro para Melhor Curta-Metragem. O filme foi realizado enquanto Cristina Hanes fazia o mestrado em Realização de Documentário, em Portugal, e conheceu Augusto, de 70 anos. O documentário retrata a relação entre os dois, ao longo de três anos de muitas conversas. 

 

Outro filme português premiado foi "Verão Danado", a estreia na ficção de Pedro Cabeleira, de 25 anos, que foi distinguido com uma Menção Especial "Cineastas do Presente". "Verão Danado" aborda uma juventude à deriva na cidade de Lisboa, entre amores e desamores. 

 

"António e Catarina" e "Verão Danado" eram os dois únicos filmes portugueses em competição no Festival de Locarno e ambos foram premiados. 

 

Além destes filmes, houve outros com co-produção portuguesa que também foram distinguidos. "9 Dedos" venceu o prémio de Melhor Realização para o francês F.J.Ossang. O filme, co-produzido pela produtora O Som e a Fúria e rodado em Portugal, tem no elenco os actores portugueses Diogo Dória e Susana Afonso Lopes.

 

"Milla", realizado pela francesa Valérie Massadian e com produção da portuguesa Terratreme Filmes, foi distinguido com o Prémio Especial do Júri "Cineastas do Presente". 

 

Na categoria "Sinais de Vida", houve ainda uma Menção Honrosa para "Era uma Vez Brasília", co-produção entre Brasil e Portugal. Realizada pelo brasileiro Adirley Queirós, tem produção da portuguesa Terratreme Filmes e direcção de fotografia de Joana Pimenta. 

 



publicado por Alma Lusa às 15:57
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
15
16
17

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO