Quinta-feira, 18 de Maio de 2017

cançao lisboa tvcine.jpg

 

Ano: 2016

Realização: Pedro Varela

Argumento: Cotinelli Telmo (argumento original 1933), Pedro Varela 

Música original: Miguel Araújo

Banda sonora original: Nuno Malo

 

Elenco: César Mourão, Luana Martau (Brasil), Miguel Guilherme, Marcus Majella (Brasil), Maria Vieira, São José Lapa, Carla Vasconcelos, Dinarte Freitas, Dmitry Bogomolov, Ruy de Carvalho, Jani Zhao, David Chan Cordeiro, Nuria Mencía (Espanha), Nuno Markl, Pedro Ferreira, Helena Canhoto, Daniel Martinho, Rita Lello, Ana Cunha, Alex Miranda, Rita Tristão da Silva, Joana Brandão, Cleo Tavares, António Durães, João Pedro Bernardes, Alexander David, Nayma, Evandro Gomes

 

Sinopse: O terceiro filme da trilogia dos "Novos Clássicos" do cinema português é "A Canção de Lisboa". O universitário Vasco Leitão vive da mesada das tias, que vivem no Porto e o consideram um aluno cumpridor. Mas Vasco prefere os bares e as mulheres bonitas, em particular Alice, uma rapariga com talento para a música e filha do candidato a Primeiro-Ministro José Caetano. Os azares de Vasco sucedem-se: no mesmo dia em que volta a reprovar numa prova oral, recebe um e-mail em que as tias lhe anunciam uma visita a Lisboa! 

 

 

 



publicado por Alma Lusa às 19:31

uma vida à espera.jpg

 

Realização: Sérgio Graciano

Argumento: Frederico Pombares

Música: Lúcia Moniz

Produção: Caos Calmo Filmes

Local rodagem: Lisboa (bairro de Campo de Ourique)

 

Elenco: Miguel Borges, Isabel Abreu, José Martins, José Mata, Afonso Pimentel, Carla Maciel

 

Sinopse: "Uma Vida à Espera" conta a história de um homem que, ao sair de casa, retira a caixa do correio. Dirige-se a um jardim onde se senta num banco e organiza os seus poucos pertences. Escreve uma carta ao filho. Ali permanece sentado e espera uma resposta durante dias, meses, anos... Poderá esta resposta chegar ou será este filho uma realidade imaginada? Alguém que ele nunca teve? Os dias passam, os anos chegam. E Miguel fica uma vida à espera...

 

Esta quinta-feira estreiam, nas salas de cinema nacionais, dois filmes portugueses do mesmo realizador: "Perdidos" e "Uma Vida à Espera", de Sérgio Graciano.

 

 

 

 

Sérgio Graciano nasceu em Lisboa, em 1975. Para cinema, realizou curtas e longas-metragens. Já realizou vários trabalhos para televisão: as telenovelas "Doce Fugitiva" (TVI), "Vila Faia" (RTP1), "Laços de Sangue" (SIC), que ganhou um Emmy Internacional de Melhor Novela, e "Coração de Ouro" (SIC); e as séries "Liberdade 21" (RTP1), "Conta-me como foi" (RTP1), "Último a Sair" (RTP1), "Lua Vermelha" (SIC), "Maternidade" (RTP1), "Depois do Adeus" (RTP1) e "Filha da Lei", actualmente em exibição na RTP1. Neste momento, está a gravar uma nova série para a RTP1, "A Criação". Sérgio Graciano também tem realizado na ficção angolana, como são exemplo as telenovelas "Windeck" e "Jikulumessu" e o filme/série "Njinga - Rainha de Angola". 

 

Filmografia:

Perdidos (2017)

Uma Vida à Espera (2017)

O Protagonista (2016)

Herculano (curta-metragem, 2013)

Ivanov (vídeo, 2013)

Assim Assim (2012)

Linhas de Sangue (curta-metragem, 2011)

Um Dia Longo (2011)

Respiro (2010)

Passeio (curta-metragem, 2009)

Ricochete (curta-metragem, 2006)



publicado por Alma Lusa às 10:48

perdidos.jpg

 

Realização: Sérgio Graciano

Argumento: Tiago R. Santos (adaptação do argumento do filme alemão "Armadilha em Alto Mar")

Produção: Stopline Films (Leonel Vieira)

Local rodagem: Porto Santo (Madeira)

 

Elenco: Dânia Neto, Afonso Pimentel, Dalila Carmo, Diogo Amaral, Catarina Gouveia, Lourenço Ortigão

 

Sinopse: Um cruzeiro de fim-de-semana, a bordo de um luxuoso veleiro, sofre um terrível revés quando o grupo de amigos decide nadar em alto mar sem baixar as escadas. O barco revela-se impossível de escalar, deixando-os à deriva, a quilómetros da costa. Lentamente apercebem-se da dimensão da sua trágica situação e a esperança de escapar com vida começa a desaparecer. A exaustão de se manterem à superfície e a luta para voltar a subir a bordo do barco começam a tomar proporções insuportáveis. O que começou por ser uma alegre reunião torna-se numa verdadeira luta pela sobrevivência.

 

Esta quinta-feira estreiam, nas salas de cinema nacionais, dois filmes portugueses do mesmo realizador: "Perdidos" e "Uma Vida à Espera", de Sérgio Graciano.

 

 

 

Sérgio Graciano nasceu em Lisboa, em 1975. Para cinema, realizou curtas e longas-metragens. Já realizou vários trabalhos para televisão: as telenovelas "Doce Fugitiva" (TVI), "Vila Faia" (RTP1), "Laços de Sangue" (SIC), que ganhou um Emmy Internacional de Melhor Novela, e "Coração de Ouro" (SIC); e as séries "Liberdade 21" (RTP1), "Conta-me como foi" (RTP1), "Último a Sair" (RTP1), "Lua Vermelha" (SIC), "Maternidade" (RTP1), "Depois do Adeus" (RTP1) e "Filha da Lei", actualmente em exibição na RTP1. Neste momento, está a gravar uma nova série para a RTP1, "A Criação". Sérgio Graciano também tem realizado na ficção angolana, como são exemplo as telenovelas "Windeck" e "Jikulumessu" e o filme/série "Njinga - Rainha de Angola". 

 

Filmografia:

Perdidos (2017)

Uma Vida à Espera (2017)

O Protagonista (2016)

Herculano (curta-metragem, 2013)

Ivanov (vídeo, 2013)

Assim Assim (2012)

Linhas de Sangue (curta-metragem, 2011)

Um Dia Longo (2011)

Respiro (2010)

Passeio (curta-metragem, 2009)

Ricochete (curta-metragem, 2006)



publicado por Alma Lusa às 10:26

 

 

Autoria: Catarina Portas

Realização: Ricardo Freitas

Produção: Até ao Fim do Mundo

 

Sinopse: Catarina Portas leva-nos a conhecer produtos que fazem parte da nossa História, numa série de 8 episódios.

 

Partimos país fora à procura de fábricas que são mais do que aquilo que produzem: fábricas antigas, várias delas centenárias, com muitas histórias para contar sobre o país que fomos e que hoje somos.  São testemunhos vivos dos tempos distantes em que nasceram, guardam a memória das figuras pioneiras que as fundaram, narram sucessos e desventuras ao longo de mudanças de regime, de hábitos novos e reviravoltas do consumo.

 

Numa economia que é hoje definitivamente globalizada, altamente tecnológica e impiedosamente competitiva, como resistem as nossas fábricas mais antigas e as suas marcas históricas? Surpreendentemente bem, é o que descobrimos nesta viagem pela diversidade da realidade industrial e tradicional portuguesa. Vamos descobrir como se fabrica, como se resiste e se inova no Portugal industrial –  conhecer melhor quem somos e como fazemos.

 

1º episódio - Fábrica de Chá da Gorreana (São Miguel, Açores)

 

No século XIX, perante uma economia local condenada, os agricultores de São Miguel associaram-se para trazer do outro lado do mundo um par de chineses experientes. A Fábrica de Chá da Gorreana, a mais antiga e raríssima plantação de chá europeia, conta o sucesso dessa história extraordinária e de um produto exótico que ganhou raízes no meio do Atlântico.

 

Quintas, às 21h15, na RTP1.



publicado por Alma Lusa às 09:55

rally pt 2017.jpg

 

http://www.rallydeportugal.pt

 

Entre 18 e 21 de Maio, um dos melhores eventos do ano em Portugal... o mítico Rally de Portugal!

 

A RTP irá acompanhar a 51ª edição do Vodafone Rally de Portugal, que decorre entre os dias 18 e 21 de Maio, no Norte do País, através de uma operação multiplataforma: televisão, rádio e online. Haverá directos no final das classificativas, reportagens, comentários e entrevistas aos pilotos.


Esta operação vai também estar no online, onde será criado um espaço especifico no sítio da RTP, concretamente na área RTP Notícias.

 

Transmissões Rally de Portugal:

 

Quinta-feira, 18: 19h - 20h30 (RTP3)

Sexta-feira, 19: 19h - 20h (RTP1)

Sábado, 20: 11h - 12h (RTP1); 17h10 - 18h (RTP3)

Domingo, 21: 09h-10h/12h-13h30 (RTP1)

 



publicado por Alma Lusa às 09:37
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

17

21
25
26
27

28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO