Quarta-feira, 03 de Maio de 2017

 



publicado por Alma Lusa às 16:22

indielisboa2017.jpg

http://indielisboa.com/

 

De 3 a 14 de Maio, realiza-se a 14ª edição do IndieLisboa - Festival de Cinema Independente.

 

Em 2017, o IndieLisboa homenageia dois grandes cineastas: Paul Vecchiali e Jem Cohen. O francês Paul Vecchiali, de 86 anos, filma há mais de cinco décadas contando com mais de cinquenta fimes na sua extensa filmografia. Em parceria com a Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, será exibida uma retrospectiva, composta por dezassete filmes, que pretende retratar a vastidão da obra de Vecchiali e os vários caminhos que a mesma percorre. É a primeira retrospectiva de sempre sobre a sua obra em Portugal, com a presença do cineasta francês.

 

Do norte-americano Jem Cohen, realizador e artista multidisciplinar, já foram exibidas diversas obras em Portugal, tanto no campo da curta como da longa-metragem, em festivais como o IndieLisboa ou o Curtas Vila do Conde. A sua obra está patente em colecções, nomeadamente no MOMA e no Whitney Museum de Nova Iorque. O que ainda não se tinha feito era olhar para a imensidão da sua obra, encontrar um eixo temático e mostrá-la em todo o seu esplendor. Serão exibidos catorze filmes, sendo o mais antigo de 1996 e o mais recente já de 2017, numa estreia absoluta. O realizador estará em Portugal a acompanhar a sua retrospectiva e fará um encontro onde falará da sua vasta obra.

 

Na secção Silvestre, os realizadores em foco em 2017 trabalham em dupla: o húngaro Gusztáv Hámos e a alemã Katja Pratschke. 

 

Ao longo dos últimos anos, o IndieLisboa tem puxado a si o território da música, seja através da secção IndieMusic, seja através do IndiebyNight, a cada ano mais fortes e com uma conquista progressiva de público da música para o cinema. Em 2017, Stuart Staples, o mítico vocalista dos Tindersticks, apresentará o seu primeiro filme, que reporta à obra de um cineasta inglês obscuro do início do sec. XX, Minute Bodies: The Intimate World of F. Percy Smith.

 

O cinema português está em grande no IndieLisboa. A sessão de abertura da edição de 2017 terá a exibição do filme Colo, de Teresa Villaverde, um retrato do Portugal contemporâneo com distância, memória e recuo relativamente às contingências do dia-a-dia. É um filme sereno, mas preocupado com a nossa situação, e é o sinalizador de uma competição nacional pela primeira vez constituída por seis longas-metragens e dezoito curtas-metragens, o maior contingente de sempre na competição nacional do IndieLisboa. No total, o IndieLisboa apresentará cerca de quarenta filmes portugueses, na sua maioria em estreia mundial ou nacional e espalhados pelas diferentes secções do festival. A acrescentar a este número, serão exibidas, no âmbito das Lisbon Screenings organizadas pela Portugal Film – Agência Internacional de Cinema Português, um conjunto de filmes (na sua maioria ainda em versões de trabalho) num espaço dedicado a programadores de festivais, distribuidores e sales agents.

 

Como é habitual, haverá também a secção IndieJúnior, dedicada aos mais novos. É constituída essencialmente por sessões de cinema que incluem filmes de todo o mundo, em registos como a animação, documentário e ficção, e que possui duas vertentes principais: o IndieJúnior Famílias e o IndieJúnior Escolas.

 



publicado por Alma Lusa às 12:24

Bispo Carlos Azevedo

 

O bispo Carlos Azevedo nos 100 anos de Fátima. Aparições, visões ou alucinações?

 

D. Carlos Azevedo, bispo delegado do Conselho Pontifício no Vaticano, com Vítor Gonçalves na Grande Entrevista.



publicado por Alma Lusa às 10:31
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

17

21
25
26
27

28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO