Quarta-feira, 31 de Maio de 2017

beja romana.png

 

https://www.bejaromana.pt/

 

Beja traja-se a rigor para mais uma edição do Beja Romana! De 2 a 4 de Junho, a capital do Baixo Alentejo revive a grandeza e imponência de Pax Julia, no centro histórico da cidade, com um programa repleto de actividades, música, cortejos com cavalos, mercado, falcoaria, acepipes e espectáculos de fogo.

 

Este ano sob o tema da CONVIVÊNCIA MULTICULTURAL NO CONVENTUS PACENSIS, Beja volta a trajar-se para receber nos dias 2 a 4 de Junho mais uma edição do Festival Beja Romana.

 

A grandeza e imponência de Pax Julia revive-se, durante 3 dias, no Centro Histórico da cidade. Mas é na Praça da República, local onde se situava o fórum romano e onde estão identificados dois templos romanos, um dos quais o maior e mais monumental descoberto até hoje em território português, que acontece o grande bulício desta recriação.

 

Os mercados faziam parte da vida quotidiana das cidades na época, por isso, poderá encontrar, neste mercado romano, mercadores a vender produtos baseados ou inspirados naqueles que existiam na época e experimentar alguns pratos recriados, com base nos alimentos disponíveis naquele período.


Outro dos momentos altos do programa são os cortejos que percorrem o Centro Histórico numa verdadeira manifestação do esplendor da época romana. Este é um momento aberto à participação de todos os que se pretendam juntar a esta festa.

 



publicado por Alma Lusa às 17:20
Quarta-feira, 31 de Maio de 2017

macbeth_tnsj.jpg

 

De: William Shakespeare (Reino Unido, 1564 - 1616)

Tradução: Daniel Jonas

Encenação, cenografia e figurinos: Nuno Carinhas

Dramaturgia: Nuno Carinhas, Pedro Sobrado

 

Interpretação: João Reis, Emília Silvestre, Diana Sá, Joana Carvalho, João Cardoso, João Castro, Jorge Mota, Paulo Calatré, Paulo Freixinho, Sara Barros Leitão

 

Sinopse: "O vosso nome?", pergunta aquele que vai morrer. "Ouvi-lo só assusta", responde aquele que vai matar. Pela primeira vez no seu trajecto de encenador, Nuno Carinhas enfrenta uma obra de William Shakespeare e começa por esse nome que atrai todos os superlativos: Macbeth, a mais veloz, a mais enigmática, a mais maligna ou até a mais moral das tragédias daquele que ousou inventar o humano. "Tão feio e belo dia nunca vi", dirá o herói (e vilão) assim que entrar em cena, oferecendo-nos uma descrição da chamada "peça escocesa", território habitado por ritos maléficos, prenúncios, noites sangrentas, insónias, fantasmas – e pela pergunta: o que significa ser homem, agir como um homem? Com um elenco de actores que conhecemos das mais marcantes produções do Teatro Nacional São João, Macbeth traz de volta João Reis (ele que foi, por duas vezes, o nosso Hamlet) para agora interpretar o mais sinistro dos protagonistas shakespearianos, cuja imaginação, todavia, não pode deixar de nos fascinar e a cuja desoladora sorte é-nos impossível ser indiferentes. "Quanta vez a voz da escuridão nos diz verdades, bagatelas honestas para atrair-nos ao mais fundo dos fins?"

 



publicado por Alma Lusa às 15:02
Quarta-feira, 31 de Maio de 2017

A-Volta-ao-Mundo-em-80-minutos.jpg

 

Encenação: Filipe La Féria

 

Elenco: João Baião, Dora, Paula Sá, Ricardo Soler, Filipe Albuquerque, Catarina Pereira, Mónica Alves, Carina Leitão, Paula Ribas, Neuza Rodrigues, Carla Fernandes, Fabiana Sousa, João Nascimento, Miguel Roxo Tira-Picos, Filipe Mascarenhas, Jorge Michael Monteiro, Carina Delgado, Tiago Isidro, Sara Villas, Rui Sousa, Nélson Araújo, Mila Cunha, Marco Mercier

 

Sinopse: Glosando o tema de Júlio Verne em que um apostador desafia os seus adversários afirmando que consegue dar a volta ao mundo em 80 dias, no novo espectáculo de Filipe La Féria a volta será dada em 80 minutos, percorrendo todos os pontos do globo, revisitando as melodias e canções que fazem parte da memória colectiva de cada país numa narrativa iminentemente popular e abrangente a todos os gostos, onde o revivalismo se alia com a contemporaneidade num show que engloba o teatro, o cinema, a música, o bailado, a acrobacia e que irá proporcionar 80 minutos inesquecíveis a cada espectador.

 

"A Volta ao Mundo em 80 Minutos" terá um ritmo diabólico e moderno revisitando todos os géneros musicais, da canção romântica ao rock, do fado ao rap, percorrendo a identidade e as formas de cada nação: de Portugal a Espanha, de Espanha a Inglaterra, Áustria, Rússia, Estados Unidos, México, Argentina, Brasil, não esquecendo África, Ásia, Índia...

 

"A Volta ao Mundo em 80 Minutos" é um musical perfeito e completo, uma antologia das grandes músicas, imagens, sensações e sentimentos que guardamos na nossa memória com os olhos postos no futuro neste conturbado mas admirável novo mundo em que vivemos.

 

Com João Baião à frente de um grande elenco, "A Volta ao Mundo em 80 Minutos" é a nova grande aposta de Filipe La Féria para o Salão Preto e Prata do Casino Estoril, um espectáculo diferente, divertido, alegre e com muito humor.

 



publicado por Alma Lusa às 14:48
Quarta-feira, 31 de Maio de 2017

calçada portuguesa rio.jpg

Calçada Portuguesa em Copacabana (Rio de Janeiro)

 

 

Conhecemos os feitos dos navegadores e o que foram os Descobrimentos. Hoje, quais são as consequências? Portugal está espalhado por esse mundo fora. Venha viajar com o Sociedade Civil em busca da Cultura Portuguesa pelo Mundo.



publicado por Alma Lusa às 09:33
Terça-feira, 30 de Maio de 2017

 

Concertos de Apresentação

 

10 Junho - Hard Club (Porto)

17 Junho - Estúdio Time Out, Mercado da Ribeira (Lisboa)

 



publicado por Alma Lusa às 16:36
Terça-feira, 30 de Maio de 2017

portugal sub 20 coreia.jpg

 

Esta terça-feira, Portugal disputa os oitavos-de-final do Campeonato Mundial de Futebol sub-20, frente à Coreia do Sul, a selecção anfitriã.

 

O jogo Coreia do Sul x Portugal tem início ao meio-dia e será transmitido pela RTP1.

 

FORÇA, PORTUGAL!!!

 



publicado por Alma Lusa às 09:40
Segunda-feira, 29 de Maio de 2017

Capicua-Emicida-Rael-Valete-–-lançam-álbum-“

 

"Língua Franca" é um projecto luso-brasileiro que junta os rappers portugueses Capicua e Valete aos brasileiros Emicida e Rael. 

 

No próximo dia 14 de Julho, actuam no Super Bock Super Rock, no Parque das Nações, em Lisboa.

 

lingua franca.jpg

  Emicida, Valete, Capicua e Rael

 



publicado por Alma Lusa às 15:53
Segunda-feira, 29 de Maio de 2017

Pedro-Pinho.jpg

Pedro Pinho

 

De 17 a 28 de Maio, realizou-se a 70ª edição do Festival de Cannes, em França, um dos mais importantes festivais cinematográficos do mundo.

 

Portugal teve quatro filmes seleccionados para o Festival de Cannes: a longa-metragem "A Fábrica de Nada", de Pedro Pinho, e as curtas-metragens "Água Mole", de Laura Gonçalves e Alexandra Ramires (Xá), "Farpões, Baldios", de Marta Mateus, e "Coelho Mau", de Carlos Conceição. 

 

Com o fim do Festival de Cannes, o cinema português trouxe mais um prémio para casa. "A Fábrica de Nada" venceu o Prémio FIPRESCI, da Federação Internacional de Críticos de Cinema.

 

Realizado por Pedro Pinho e produzido pela Terratreme, "A Fábrica de Nada", filme interpretado por actores e não-actores, segue a vida de um grupo de operários que percebe que a administração está a roubar máquinas e matérias-primas da sua própria fábrica. Ao decidirem organizar-se para proteger os equipamentos e impedir o deslocamento da produção, os trabalhadores são forçados a permanecer nos seus postos de trabalho sem nada que fazer enquanto prosseguem as negociações para os despedimentos. 

 

"A Fábrica de Nada" foi considerado, pela crítica, o segundo melhor filme de todas as competições do festival, logo a seguir aos dois primeiros episódios da série norte-americana "Twin Peaks", realizada por David Lynch, que estreou este domingo na televisão portuguesa, no TV Séries. 

 

Pedro Pinho é realizador, argumentista e produtor. Já realizou documentários e a média-metragem "Um Fim do Mundo" (2013). "A Fábrica do Nada" é a sua primeira longa-metragem.

 

fabrica nada.jpg

 



publicado por Alma Lusa às 11:13
Segunda-feira, 29 de Maio de 2017

manos sobral.jpg

 

Chegou, cantou e venceu!


Mais do que a proeza de ganhar a Eurovisão, Salvador e Luísa mudaram o paradigma do maior certame de música na Europa. Com sentimento e sem fogo-de-artifício.


Grandes nomes da música portuguesa, a RTP, críticos e produtores, todos juntos no maior debate da televisão. A música portuguesa em debate no Prós e Contras. 

 



publicado por Alma Lusa às 10:14
Sábado, 27 de Maio de 2017

oriana.jpg

 

A partir do livro "A Fada Oriana", de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919 - 2004)

 

Direcção e dramaturgia: Paulo Campos dos Reis

Música original: Raúl Pinto

Cenografia, figurinos e adereços: Nuno Barracas

Produção: MUSGO - Produção Cultural

 

Interpretação: Carolina Salles, Clara Marchana, Raúl Pinto, Rute Lizardo

 

Sinopse: É difícil encontrar, em território nacional, outro espaço de apresentação recorrente de espectáculos ao ar livre tão apropriado, como a Regaleira, para acolher uma versão cénica deste texto de Sophia de Mello Breyner. Não é preciso desencriptar o complexo programa simbólico da Quinta de Carvalho Monteiro para, quando se franqueiam os portões, se intuir que estamos na presença de um lugar mágico cujo imaginário remete imediatamente para contos de fadas; onde, se a nossa (velha) infância quiser, podemos deixar-nos surpreender pela aparição de um ser sobrenatural que fala connosco, nos toca, nos convida para entrar. É o caso da Fada Oriana, personagem saída da pena da poetisa que conquistou o Prémio Camões, em 1999. O texto de Sophia, de uma extraordinária delicadeza e simplicidade, conta a história de um destes seres mágicos, só visíveis ao olhar das crianças e dos animais, e que parece autóctone do território encantado da Regaleira.

 

fada oriana.jpg



publicado por Alma Lusa às 19:32
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

17

21

28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO