Quarta-feira, 22 de Março de 2017

paraiso leya.jpg

 

Editora: Casa das Letras

 

Sinopse: Com o rei D. Carlos ao leme da Nação, os habitantes de uma recôndita aldeia portuguesa dispõem-se a castigar, certa noite, os praticantes de um pecado hediondo, deitando fogo à sua casa na orla de uma floresta paradisíaca. E é tal a sanha colectiva contra os pecadores que – salvo os que ainda não andam e os que já não conseguem andar – só duas pessoas na povoação inteira não participam do massacre: Ana, a parteira, e o padre Engrácio. Conseguindo adiantar-se ao morticínio, resgatam com vida um par de gémeos recém-nascidos, baptizados nessa mesma noite com os nomes de Laura e Lourenço Duchamp.

 

Recebidas em orfanatos distintos, as crianças crescerão sob o signo da tristeza, da violência e da solidão, sempre carentes da alma gémea que desconhecem ter, enquanto na aldeia, à medida que os anos passam, a culpa vai consumindo, um por um, os criminosos. Ana, que não pode ter filhos, nunca deixa, porém, de se perguntar pelos meninos que salvou, ignorando, como eles, que o reencontro é sempre uma possibilidade.
 
Numa linguagem cuidada e bela e um leque de personagens fascinante, Paula de Sousa Lima constrói em "O Paraíso" uma narrativa pungente sobre o preconceito, o arrependimento e a incapacidade de fugir ao destino.
 
 
 
 
Paula de Sousa Lima nasceu em Lisboa, filha de pais açorianos, e vive nos Açores desde os seis anos, com uma passagem por Moçambique. Mantém, desde há vários anos, uma colaboração assídua e regular em jornais, com crónicas e artigos sobre literatura e língua.
 
É co-autora de uma obra de gramática (Explicações de Português) e escreveu o livro de poesia Quando Eu Mover a Sombra das Montanhas. Publicou mais de duas dezenas de contos em jornais, revistas e colectâneas, bem como o livro O Outro Lado do Mundo (Prémio Daniel de Sá, 2016). Além de O Paraíso (finalista do Prémio LeYa em 2016), tem cinco outros romances publicados: Crónica dos Senhores do Lenho, Variações em Dor Maior, Tempo Adiado, Os Últimos Dias de Pôncio Pilatos e Mas Deus não Dá Licença Que Partamos.


publicado por Alma Lusa às 16:05

as_minhas_aventuras_no_pais_dos_sovietes.jpg

 

Editora: Oficina do Livro

 

Sinopse: «Naquela altura, mais precisamente no dia 9 de Setembro de 1977, os comboios da linha Póvoa de Varzim-Porto (Trindade) ainda eram movidos a carvão e foi num deles que se iniciou, nessa data, a minha longa viagem ao País dos Sovietes. […] A mala era leve porque, além de não haver dinheiro para mais, eu estava convencido de que não se ia para o "Paraíso Terrestre" com a casa às costas, porque nesse lugar não costuma faltar nada, à excepção do pecado. Sim, eu ia viver na sociedade quase perfeita, na transição do socialismo desenvolvido para o comunismo.» (José Milhazes)

 

José Milhazes nasceu a 2 de Outubro de 1958, na Póvoa de Varzim. Em 1977, parte para a União Soviética a fim de cursar História da Rússia e assistir à "construção do comunismo", levando a cabo os seus estudos na Universidade Estatal de Moscovo. Formado em 1983, constituiu família e ficou a residir na URSS. A 8 de Agosto de 1989, escreve a primeira crónica para a TSF e, no ano seguinte, com o lançamento do jornal Público, torna-se seu correspondente em Moscovo. Em 2002, começa também a colaborar com a SIC. A longa permanência na União Soviética e, depois, na Rússia, permitiu-lhe assistir e participar num dos períodos mais conturbados do séc. XX: a queda da "cortina de ferro" e a formação de novos Estados no Leste da Europa. Mantém o blogue www.darussia.blogspot.com, alojado no sítio electrónico do jornal Público.
 
 



publicado por Alma Lusa às 12:27

premios sophia.jpg

 

A RTP2 transmite a cerimónia de atribuição dos Prémios Sophia 2017, que terá lugar no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Uma cerimónia com apresentação de Ana Bola, onde os cineastas da Academia Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas homenageiam as melhores prestações dos seus pares nos filmes estreados em 2016.

 

"Cinema e Televisão" é o tema central da gala que, desta forma, comemora também o 60º aniversário da RTP. Durante a cerimónia haverá uma homenagem especial a Ruy de Carvalho, a quem a Academia atribuirá o Prémio Mérito e Excelência, pelos seus notáveis 75 anos de carreira. A actriz Adelaide João e o director de fotografia Elso Roque receberão os Prémios Carreira. 

 

Veja aqui os Nomeados

 

Prémio_Sophia.png

 



publicado por Alma Lusa às 10:12
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12

19
25

26


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO