Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2017

bandeia india.png

 

Conheça um pouco melhor a Índia.

 

O historiador português José Carlos Calazans analisa as várias religiões da Índia.

 

O Padre João Caniço parte todos os anos rumo ao Oriente, às terras quentes da Índia, onde a fé e as tradições o continuam a inspirar.

 

Conheça as origens indianas do Primeiro-Ministro português, António Costa.

 

Comunidade Hindu de Portugal

 

Asha Kishore nasceu em Moçambique numa família hindu com origens em Goa, estado indiano e antiga colónia portuguesa.

 

Danças Indianas

 

Workshop de Pão Indiano na Comunidade Hindu de Portugal

 

Restaurante Indiano em Lagos

 

Restaurante Natraj (Lisboa)

 

Restaurante Nova Goa (Lisboa)

 

Restaurante Jesus é Goês (Lisboa)

 

Mercearia Goesa (Lisboa)



publicado por Alma Lusa às 16:39

MAIAS RTP.jpg

 

Ano: 2014

Realização: João Botelho

Argumento: João Botelho (a partir da obra de Eça de Queiroz)

Figurinos: Sílvia Grabowski

Cenários: João Queiroz (as cenas exteriores foram todas gravadas em estúdio com cenários pintados por João Queiroz)

 

Elenco: Graciano Dias, Maria Flor (Brasil), Pedro Inês, João Perry, Hugo Mestre Amaro, Maria João Pinho, Adriano Luz, Filipe Vargas, Marcello Urgeghe, Pedro Lacerda, Rita Blanco, José Manuel Mendes, André Gonçalves (Brasil), José Neto, José Eduardo, Nuno Pardal, Ana Moreira, Nuno Casanovas, Rui Morisson, Catarina Wallenstein, João Barbosa, Cândido Ferreira, Diogo Vida, Dinarte Branco, Ricardo Aibéo, Francisco Tavares, Cláudio da Silva, João Pedro Vaz, Sandra Santos, Maya Booth, Sara Mestre, João Araújo, Laura Soveral, Rafael Fonseca, Tiago da Cruz, Alexandra Sargento, Leonaldo de Almeida, André Gomes, Solange Santos, Paulo Filipe, Miguel Monteiro, Dinis Gomes, Mitó Mendes, Júlia Cruz, Mário Sabino Sousa, Vera Jardim, Jorge Vaz de Carvalho (voz de Eça de Queiroz)

 

Sinopse: Entre Afonso da Maia e o seu neto Carlos, constrói-se o último laço forte da velha família Maia. Formado em Medicina na Universidade de Coimbra, e posteriormente educado numa longa viagem pela Europa, Carlos da Maia regressa a Lisboa no Outono de 1875, para grande alegria do avô. Nos catorze meses seguintes, nasce, cresce e morre a comédia e a tragédia de Carlos como a tragédia e a comédia de Portugal. A vida ociosa do médico aristocrata, invariavelmente acompanhado pelo seu par amigo, o génio da escrita e de obras "inacabadas", o manipulador João da Ega, leva-o a ter amigos, a ter amantes e ao dolce fare niente, cheio de convicções. Até que se apaixona de verdade por uma mulher tão bela como uma madona e tão cheia de mistérios, como as heroínas da estética naturalista. Um personagem novo num romance esteticamente revolucionário. A vertigem: paixão louca para lá dos negrumes do passado, um novo e mais negro precipício, o incesto. Mesmo sabendo que Maria Eduarda é a irmã, a paixão de Carlos não morre e vai ao limite. E depois termina abruptamente porque o velho Afonso da Maia morre para expiar o pecado terrível do seu neto, neto que era a razão da sua existência. E então, em vez da morte do herói, nova invenção de Eça. Carlos e Ega partem para uma longa viagem de ócio e de pequenos prazeres. Dez anos depois, voltam a encontrar-se em Lisboa, tão diferente e tão igual, a capital de um país a caminho da bancarrota. "Os Maias", escrito pelo genial Eça de Queiroz, grande, melodramático, divertido e melancólico, aponta um destino sem remédio, tanto para a família Maia como para Portugal. (João Botelho). 

 

 

 



publicado por Alma Lusa às 15:37

 

Ano: 2001

Realização: João Botelho

Argumento: João Botelho (adaptação da obra de Almeida Garrett)

 

Elenco: Patrícia Guerreiro, Suzana Borges, Rui Morisson, Marco Delgado, Rogério Samora, José Pinto, Francisco d'Orey, Bruno Martelo, Marga Muguambe, Gustavo Sumpta, Luís Pinhão, Carlos Costa, Alicia Grabowski, Delfina Guedes, Carlos Gomes, João Lupi

 

 

Sinopse: Maria (Patrícia Guerreiro) é uma jovem atormentada por uma doença impiedosa que, entre os seus delírios, observa todos os cenários de luxúria e terror do Portugal do século XVI. Transporta consigo toda a expressão trágica de uma vida sem sentido, com um pai que vive entre a revolta e a expiação dos pecados e uma mãe perseguida pelo pecado da traição.

 

D. Madalena de Vilhena (Suzana Borges) casou com Manuel de Sousa Coutinho (Rui Morisson), com quem tem uma filha, Maria. Mas uma sombra paira sobre esta família e esta mulher, que vive num "engano da alma ledo e cego".  D. Madalena já tinha sido casada com D. João de Portugal (Marco Delgado), desaparecido na batalha de Álcacer-Quibir, em que se perdeu também o Desejado. Mas D. João de Portugal prometeu regressar, vivo ou morto, para voltar a olhar o rosto da sua amada. A tragédia irrompe quando à casa da família chega um romeiro, um fantasma de barbas brancas que passou mais de 20 anos em cativeiro.

 

"Quem és tu?", de João Botelho, é uma adaptação da tragédia "Frei Luís de Sousa", de Almeida Garrett. Centrado no mito sebastiânico, o filme recupera fielmente a história que já tinha sido adaptada para o cinema por António Lopes Ribeiro.



publicado por Alma Lusa às 15:33

Pires_081.jpg

 

Um magnífico concerto da Orquestra Sinfónica de Londres conduzido por Sir John Eliot Gardiner e com a participação especial da pianista portuguesa Maria João Pires.

 

A Orquestra Sinfónica de Londres convida o célebre Sir John Eliot Gardiner para executar duas das obras maiores de Mendelssohn, assim como o concerto para piano de Schumann interpretado por uma das mais amadas pianistas da actualidade, Maria João Pires.

 

A obra de Schumann, derivada da sua "fantasia" em Lá Menor, foi composta em 1841. O compositor austríaco acrescentou dois movimentos quatro anos mais tarde, quando foi tocado pela primeira vez em 1845 pela sua esposa, Clara Schumann. Este trabalho mostra uma saída deliberada do concerto virtuoso de Schumann e volta à forma clássica desenvolvida pelo vienense - uma aventura que se desenrola entre o solista e a orquestra.



publicado por Alma Lusa às 15:18

pcarvalho.jpg

 

Nome maior da música ligeira portuguesa, Paulo de Carvalho ficará para sempre ligado à história do País. Registo ao vivo do concerto que o músico deu, em 2010, no auditório do Museu do Oriente, em Lisboa. Paulo de Carvalho revisita alguns dos seus temas mais emblemáticos com uma plateia a participar. 



publicado por Alma Lusa às 10:20
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

15
21

22

29


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO