Quinta-feira, 31 de Março de 2016

john from.jpg

 

Realização: João Nicolau

Argumento: João Nicolau e Mariana Ricardo

Música original: João Lobo

Director de Fotografia: Mário Castanheira

Produção: Luís Urbano e Sandro Aguilar

Local rodagem: Telheiras (Lisboa)

 

Elenco: Júlia Palha, Clara Riedenstein, Filipe Vargas, Leonor Silveira, Adriano Luz, António Fonseca, Luísa Cruz

 

Sinopse: Rita tem tudo. Tem 15 anos e o Verão à sua frente. Molha o chão da varanda e chapinha enquanto apanha valentes banhos de sol. Tem um ex-futuro namorado e o presente infalível da sua melhor amiga. Faz tranças e tem festas onde mostrá-las. Muito naturalmente, de Portugal ao Pacífico Sul, esta fortaleza desaba com doçura quando a adolescente vê a exposição que um novo vizinho apresenta no centro comunitário do bairro.

 

Prémio: Menção Especial na Mostra de São Paulo (Brasil, 2015)

 

 

 

João Nicolau nasceu em Lisboa. Trabalha como realizador, montador, actor e músico. Realizou as longas metragens "A Espada e a Rosa" (2010) e "John From" (2015) e as curtas "Rapace" (2006), "Canção de Amor e Saúde" (2009), "O Dom das Lágrimas" (2012) e "Gambozinos" (2013). Os seus filmes são regularmente exibidos nos mais prestigiados festivais de cinema: Cannes, Veneza, Locarno, São Paulo, Belfort, Viena, Busan, Buenos Aires, Sevilha, Vila do Conde, Angers, Milão, Montreal, Mar del Plata, Belo Horizonte, Valdivia, Roma, Sarajevo, entre outros.

 

Filmografia:

 

John From (2015)

Gambozinos (curta-metragem, 2013)

O Dom das Lágrimas (curta-metragem para Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012)

A Espada e a Rosa (2010)

Canção de Amor e Saúde (curta-metragem, 2009)

Rapace (curta-metragem, 2006)



publicado por Alma Lusa às 12:09
Quinta-feira, 31 de Março de 2016

golo_Montenegro.jpg

 

 

Quase seis mil (5.906) mulheres e raparigas em Portugal jogam futebol (incluindo futsal e futebol de praia). Em Janeiro de 2016, 2280 jogadoras estavam inscritas na Federação Portuguesa de Futebol. Seniores são 942, as restantes integram os escalões de formação. O futebol de onze tem 131.016 jogadores masculinos federados. As diferenças dos números não se nota no empenho, dedicação e paixão de homens e mulheres.

 

Em Portugal,o futebol feminino é considerado uma actividade amadora mas nem por isso deixa de trazer cada vez mais jogadoras aos campos de treino e aos torneios. Para muitas meninas de 9 anos como a Joana, Margarida e Madalena, e adolescentes, como a Beatriz Correia, a bola é o brinquedo preferido. Os treinos fazem parte das rotinas semanais e, para poderem progredir com mais exigência, integram equipas com meninos do mesmo escalão, porque sabem que têm mais possibilidades de entrar em torneios de competição. Sonham com as convocatórias para os jogos e falam do futebol como o que mais gostam de fazer na vida.

 

Nesta Grande Reportagem, mostramos também como é que mães de família, trabalhadoras e estudantes fazem tudo para não faltar aos treinos e aos jogos, arcando com os custos da paixão pela modalidade. É assim para Sandra Pires, lutadora de kickboxing, segurança e capitã da equipa do Belenenses, e para Ana Cláudia, contabilista, modelo e jogadora do Ouriense.

 

Para algumas dezenas de futebolistas, jogar e viver do futebol é uma realidade só possível no estrangeiro, onde são profissionais. Mais de metade das jogadoras da Selecção Nacional de Futebol Feminino jogam em equipas dos Estados Unidos, Inglaterra, China, entre muitos outros países.

 

Edite Fernandes, de 36 anos, capitã da Selecção Nacional, foi a primeira portuguesa a jogar como profissional numa equipa estrangeira. Depois dela, muitas outras se seguiram.

 

Ana Borges, nascida e criada em Vinhó, perto de Gouveia, é hoje considerada uma das melhores jogadoras portuguesas e alinha agora pelo Chelsea.

 

Carolina Mendes já andou por Espanha, Rússia e tem lugar marcado na Selecção Nacional.

 

A Grande Reportagem "A Menina Joga?" mostra que a modalidade é vivida com uma exigência elevada, uma alegria infinita e que há sonhos de que um dia seja possível às mulheres terem o estatuto de profissionais de futebol.

 

Para ver esta quinta-feira, no Jornal da Noite da SIC, com início às 20h00.



publicado por Alma Lusa às 10:00
Quarta-feira, 30 de Março de 2016

cartaz_400.jpg

 

 

http://www.festivalchocolate.cm-obidos.pt/

 



publicado por Alma Lusa às 17:53
Quarta-feira, 30 de Março de 2016

d_afonso_henriques_o_primeiro_heroi.jpg

 

 

Sinopse: Afonso Henriques nasce com uma perna enferma, imprestável, e é entregue aos Moniz, que o levam da corte para as terras dos de Ribadouro. Cresce sagaz e escorreito, por intervenção divina ou por engenho. Quando conhece a mãe tem 16 anos, porte sem defeito e poderoso; os traços são duros, algo rurais, mas temperados pelos olhos de um azul intenso e profundo. D. Teresa impressiona-se e confirma-o herdeiro do trono do Condado. Mas é nessa noite que Afonso comprova que os irmãos estrangeiros Peres de Trava estão mais próximos dela do que ele. Querem o Condado e sabem como a conduzir onde preciso for – e nos lençóis que foram do pai dele. E ali dá o primeiro dos passos há muito desenhados. E outros se seguem. Primeiro contra os estrangeiros que nestas terras mandavam, depois perante a Galiza, Leão e Castela. Até tomar Lisboa, elevando-a a centro de uma identidade nacional que a Santa Sé reconhece, como Reino soberano de Portugal, e a D. Afonso Henriques como seu Rei. "D. Afonso Henriques - O Primeiro Herói" é a adaptação do guião cinematográfico homónimo.

 

 

José Carlos de Oliveira nasceu em Lisboa, em 1951. Dirige a produtora Marginalfilmes, é argumentista, realizador e produtor das longas-metragens Inês de Portugal, O Dragão de Fumo, Preto e Branco, Um RioQuero Ser Uma Estrela. Formador na área da escrita, realização e produção; cronista na imprensa. Vice-presidente da Associação de Realizadores de Cinema e Audiovisual e da Academia Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas. Tem assento na Secção Especializada do Cinema e do Audiovisual, do Conselho Nacional de Cultura.



publicado por Alma Lusa às 11:50
Quarta-feira, 30 de Março de 2016

grande entrevista.jpg

 

É uma das vozes de ouro do novo fado em Portugal. Ana Moura na Grande Entrevista com Vítor Gonçalves.


Esta quarta-feira, às 22h30, na RTP 3. 

 



publicado por Alma Lusa às 11:07
Quarta-feira, 30 de Março de 2016

totalmente demais.jpg

 

 

O canal por cabo brasileiro Globo estreou, na passada segunda-feira, a telenovela brasileira "Totalmente Demais", que tem no elenco o actor português Paulo Rocha.

 

"Totalmente Demais", que estreou no Brasil no passado mês de Novembro, é um conto de fadas moderno, que acompanha o triângulo amoroso composto por Eliza, Carolina e Arthur, tendo como pano de fundo o implacável mundo da moda. Paixão e ambição convivem na trama, que reflecte sobre a capacidade de transformação das pessoas.

 

Paulo Rocha interpreta "Dino", padrasto de Eliza. "Totalmente Demais" é a quarta telenovela que o actor português, que vive no Brasil desde 2011, faz para o canal brasileiro Globo.

 

Diariamente, às 20h00, no canal Globo Portugal.

 

totalmente-demais-dino-paulo-rocha.jpg

 

Paulo Rocha na telenovela brasileira "Totalmente Demais" 

 



publicado por Alma Lusa às 10:20
Terça-feira, 29 de Março de 2016

 



publicado por Alma Lusa às 16:49
Terça-feira, 29 de Março de 2016

 

frei luis sousa.JPG

 © Rui Carlos Mateus

 

De: Almeida Garrett (1799 - 1854)

Encenação: Rogério de Carvalho

Cenografia: José Manuel Castanheira

Figurinos: Mariana Sá Nogueira

Luz: Guilherme Frazão

Som: Miguel Laureano

Voz e elocução: Luís Madureira

 

Intérpretes: Adriano Carvalho, Alberto Quaresma, António Fonseca, Carlos Fartura, Joana Castanheira, João Farraia, Marques D'Arede, Pedro Walter, Teresa Coutinho e Teresa Gafeira

 

Sinopse: Escrita em 1843, e publicada no ano seguinte, Frei Luís de Sousa é considerada a obra-prima do teatro romântico português. A peça estreou em 1847 no Teatro do Salitre e o enredo inspira-se na vida do escritor seiscentista Frei Luís de Sousa (de seu nome secular D. Manuel de Sousa Coutinho). Como pano de fundo, a resistência ao domínio filipino: sete anos após o seu marido, D. João de Portugal, ter sido dado como morto na batalha de Alcácer Quibir, D. Madalena de Vilhena desposa D. Manuel de Sousa Coutinho, de quem tem uma filha, Maria. A feliz existência desta família é apenas perturbada pelos pressentimentos aziagos de um velho aio, Telmo, que nunca deixa de acreditar no regresso do seu antigo senhor. Na célebre Memória ao Conservatório Real, Almeida Garrett define a sua obra como "a mais verdadeira expressão literária e artística da civilização do século".

 

almeida_garret.jpg

 

Almeida Garrett (1799-1854), a par da sua vocação literária, foi também um político activo e um liberal convicto. Depois de ter concluído o curso de Direito em Coimbra, foi perseguido e forçado a partir para Inglaterra, escrevendo Camões (1825) e D. Branca (1826) no exílio. Com a revolução de Setembro (1836), ficou encarregue de fundar o futuro Teatro Nacional D. Maria II, bem como de fomentar um repertório original português. Foi com este objectivo que escreveu Um Auto de Gil Vicente (1838), D. Filipa de Vilhena (1840), O Alfageme de Santarém (1842), Frei Luís de Sousa (1843) e A sobrinha do Marquês (1848). Na prosa, destacou-se com Viagens na Minha Terra (1843).

 

 

 



publicado por Alma Lusa às 15:28
Terça-feira, 29 de Março de 2016

aqui_logo-759x500.png

 

 

Realização: Jorge Cardoso e Ricardo Inácio

Autoria: Filipe Homem Fonseca

Produção: SP Televisão

Locais de rodagem: Lisboa e Londres

 

Elenco Principal: Fátima Belo, Filipa Areosa, José Mata, Miguel Damião, Margarida Carpinteiro, Rui Mendes, Cláudio da Silva, Inês Curado, Carlos Malvarez, Jacob Jan de Graaf (Holanda), Rodrigo Antunes

 

Sinopse: Portugal acorda em choque. Caiu um avião de uma companhia aérea nacional. Tudo aponta para que tenha sido um atentado. A realidade portuguesa transforma-se da noite para o dia. Quem provocou o atentado? É a questão que fica no ar. 

 

"Aqui Tão Longe" é uma série sobre a distância, aquela entre pessoas, objectivos, sonhos; aquela entre o que queremos e o que podemos, entre o que desejamos e o que precisamos. A distância entre a necessidade de segurança e o impulso pela busca de aventura, entre o que somos e o que desejamos ser, entre o que éramos e no que nos vamos tornar; entre o que o mundo faz de nós e nós com ele. O núcleo da série é a família: as transformações que a actual crise, a austeridade, a instabilidade social, a ameaça de terrorismo e o medo provocaram nos agregados familiares, que se mantêm, apesar de tudo, como único elemento de refúgio e segurança.


"Aqui Tão Longe" é também, por isso, uma série onde pessoas de várias gerações, e de uma classe média em risco de extinção, lutam para ter mais da vida para além da mera sobrevivência, recusando até à última o facto de que a batalha travada é apenas para não perderem o pouco que ainda têm. A sombra da austeridade reinante resulta numa metáfora da perda e do medo, a todos os níveis. A intensa confusão, desvario e desnorte empurram cada um dos protagonistas para situações que os transformam naquilo que precisam de ser, mais do que naquilo que gostavam de se tornar. 

 

A série "Aqui Tão Longe", de 36 episódios, estreia esta terça-feira, a seguir ao Portugal x Bélgica.

 

De 3ª a 6ª, às 22h00, na RTP1.

 



publicado por Alma Lusa às 11:51
Terça-feira, 29 de Março de 2016

 

Esta terça-feira, as selecções nacionais de Portugal e da Bélgica defrontam-se num jogo de preparação para o Campeonato Europeu de Futebol 2016.

 

O jogo Portugal x Bélgica, que deveria ser disputado em Bruxelas, foi transferido para Portugal devido aos recentes atentados na capital belga. Assim, a partida terá lugar no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, onde, na passada 6ª feira, Portugal defrontou a Bulgária.

 

O jogo Portugal x Bélgica tem início às 19h45 e será transmitido pela RTP1.

 



publicado por Alma Lusa às 10:56
Março 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
19

21
22
23
24
25
26

27


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO