Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

 

 

Representantes de Portugal:

 

Atletas Femininos

 

Ercília Machado (3000 metros)

Eva Vital (60 metros barreiras)

Patrícia Mamona (Triplo Salto)

Sara Moreira (3000 metros)

Susana Costa (Triplo Salto)

 

 

Atletas Masculinos

 

Diogo Antunes (60 metros)

Edi Maia (Salto com Vara)

Hélio Gomes (1500 metros)

Marco Fortes (Lançamento do Peso)

Rasul Dabó (60 metros barreiras)

Ricardo Monteiro (60 metros)

Tiago Marto (Heptalto)

 

Transmissões em directo na RTP2:

 

6ª feira, 1 Março - 8h55 às 12h40; 15h55 às 20h05

Sábado, 2 Março - 10h25 às 13h50; 14h55 às 19h10

Domingo, 3 Março - 9h55 às 13h20; 15h25 às 18h50

 



publicado por Alma Lusa às 19:39
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

A banda Lousy Guru foi gradualmente tomando forma, ao longo dos últimos anos, com elementos de outros projectos musicais do cenário alfacinha do início de 2008. O fundador do grupo, Miguel Décio, após ter tocado durante um ano e meio com a banda Alien Freak Show, juntou os dois amigos João Braz (Groove Intercourse) e Tiago Albuquerque (The Soaked Lamb) e começaram a ensaiar sob o nome de "Pocketman and the Magical Coconut Band". Mais tarde, juntaram-se André Barata (ex-Alien Freak Show) na guitarra, André Galvão (Voodoo Marmalade) no baixo e Marta Carvalho, flauta e Glockenspiel. Nasceram assim os Lousy Guru. Difíceis de enquadrar num estilo, surgem expressões como barroco-minimalista, rococó-pop e outras barbaridades.

 

Filmado no Bairro Alto, em Lisboa.

 

                             "Sopro de Agosto" e "Coração de Frango Tango"



publicado por Alma Lusa às 19:32
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013


publicado por Alma Lusa às 18:17
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013


publicado por Alma Lusa às 17:48
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

 

E é mais um prémio para o filme português "Tabu"! Desta feita, a obra do realizador Miguel Gomes foi distinguida com o prémio de Melhor Filme na 53ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cartagena, na Colômbia, um dos mais antigos festivais internacionais de cinema da América Latina.

 

O filme de Miguel Gomes retrata uma história de amor e crime passada numa África de filme de aventuras. "Tabu" homenageia o cinema mudo a preto e branco e conta no elenco com nomes como Carloto Cotta, Ana Moreira, Laura Soveral e Teresa Madruga, entre outros.

 



publicado por Alma Lusa às 17:21
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

 

Realização: Joaquim Leitão

Produção e Argumento: Tino Navarro

Elenco: Carla Chambel, Adriano Luz, Sabri Lucas, Paulo Pires, Cristina Câmara, Martim Barbeiro, Filipe Vargas, João Baptista

 

Sinopse: Uma criança de nove anos desaparece do colégio privado onde estudava. A polícia monta uma gigantesca operação de busca por toda a cidade. Todas as hipóteses estão em aberto. Que aconteceu?

 

 


publicado por Alma Lusa às 12:48
Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

António Zambujo nasceu em Beja, em 1975, e começou a estudar clarinete aos 8 anos. Desde pequeno que se apaixonou pelo fado e, aos 16 anos, ganhou um concurso. Quando foi para Lisboa, começou a tocar no bairro de Alfama, no conhecido Clube do Fado. Integrou o musical "Amália" no papel de Francisco Cruz, o primeiro marido da fadista. Lançou em 2002 o seu primeiro trabalho, "O mesmo Fado". Mais recentemente, em 2012, lançou o seu último álbum, "Quinto".

 

Filmado no Pátio das Flores, no bairro do Castelo, em Lisboa.

 

                                     "Pelo toque da viola"

 

"Fado da vida bela"

 

"A tua frieza gela"

 

"Eu já não sei"

 

 

Filmado na Tasca do Chico, no Bairro Alto, em Lisboa.

 

                          "Para que quero eu olhos" c/ Raquel Tavares 

 

 

Filmado na Casa da Cerca, em Almada.

 

"Confissão" c/ José Peixoto (guitarra portuguesa), Ana Isabel Dias e Filipe Dias  



publicado por Alma Lusa às 12:36
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2013

Pierre Aderne (Brasil)

 

 
 


publicado por Alma Lusa às 22:39
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2013

 

Os pais nunca ligaram muito mas aquela história de ela falar ao telefone em inglês com amigos imaginários, na infância, era mesmo um sinal...

 

O tempo passou e, aos 27 anos, Luísa Fidalgo continua a fazer mais ou menos o mesmo. Em Agosto, estava num café, em Madrid, à espera de uma amiga (de carne e osso), que se atrasou, e pôs-se a pensar no que gostava que acontecesse ali. Pegou no bloco que a acompanhava para todo o lado e escreveu o que imaginou: um sueco bonito, com estilo, que se sentava à sua frente e metia conversa... A história (não a vamos contar aqui, mas pode ver-se na net) seria o primeiro episódio da série The Coffee Shop Series, escrita e protagonizada por Luísa. São pequenos sketches de três minutos, com situações caricatas e engraçadas, passadas em cafés do Porto e de Guimarães, faladas em várias línguas. No ecrã, Luísa é Carol, uma jovem portuguesa que acaba de chegar de Nova Iorque. Como a própria Luísa, aliás, que voltou em Julho dos EUA, onde estudou representação, na conceituada The William Esper Studio.

 

Num ápice, Luísa pôs a série de pé. Juntou-se a um jovem realizador seu amigo (Vieira Vasco), uma editora de imagem (Maria Ferreira da Silva), chamou outros jovens actores para com ela contracenarem e pediu aos Salto a banda sonora emprestada; conseguiu, também, o apoio de Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura e pôs os episódios a passar no programa "Curto Circuito", da SIC Radical. Sem o notar, encontrava aqui o que a fascinava em Nova Iorque: «Lá, as coisas acontecem facilmente, porque está tudo à procura do mesmo, de concretizar projectos. Há muitos artistas e há criatividade no ar», diz, olhos a brilhar. Notou que, afinal, «aqui há talento, ideias e espaço para crescer». Já está a trabalhar para criar uma produtora e, entretanto, foi escolhida em vários castings em que participou.

 

Luísa tirou o curso de Ciências da Comunicação, no Porto, mas quando, aproveitando o programa Erasmus, em Roma, fez o primeiro curso de representação, confirmou que era a vestir personagens e a escrever que se sentia realizada. A primeira peça da sua autoria - O Clube dos Pirilampos - levou-a à Bielorrússia, a um Festival de Teatro, com o S.O.T.A.O., companhia de Teatro do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, que integrou durante anos, até deixar o emprego como criativa, numa «empresa de realização de eventos» e aterrar em Brooklyn.

 

(retirado do artigo "Novíssimos - Luísa Fidalgo" publicado na edição nº 1042 da revista VISÃO)

 

 

 
 
 


publicado por Alma Lusa às 22:08
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2013

 

Origem: Lisboa

 

Durante a conversa na sala de sua casa, Sónia Pessoa esteve o tempo todo a tricotar uma camisola de mulher verde e amarela. Uma forma de ocupar as mãos, que denunciavam timidez. A peça por acabar irá pertencer à colecção de Verão 2013 da original marca de roupa em tricô Ursotigre.

 

Um novo "bicho", que nasceu no ano passado na moda portuguesa, marcado pelo design artístico, o humor, a qualidade e a versatilidade. Os gorros em forma de animais - ursos, elefantes, leões ou bambis, "os bichos", como lhes chama - tornaram-se imagem de marca. Na colecção de Inverno, criou a linha Boy Friend Jump Her, composta por camisolas de tricô mais largas e compridas, que tanto podem ser usadas por eles como por elas.

 

Sónia Pessoa, de 32 anos, é ainda um nome e um rosto desconhecidos. Este prazer começou muito cedo, aos 7 anos, em Évora, quando passava dias inteiros com a avó Joaquina, com mãos para o croché, e a tia Maria, talentosa para o tricô. Estudou Design de Interiores, foi durante anos maquilhadora de moda, mas é com a marca Ursotigre que começa a ser notada no meio da moda nacional. De tal forma que algumas das suas peças (gorros, luvas, cachecóis) deram nas vistas na passerelle da última edição da Moda Lisboa, ao abrilhantarem as roupas do jovem estilista Daniel Dinis.

 

E, desde aí, as agulhas de Sónia Pessoa não têm parado de tricotar peças 100% lã, para homem e mulher. Muitas delas feitas por encomenda através do endereço www.ursotigre.com e experimentadas no ateliê improvisado na sua casa, visto que Sónia ainda não as tem à venda numa loja. Por cá, o músico Paulo Furtado, as actrizes Ana Moreira e Sónia Balacó e a manequim Ana Sofia são rostos da marca. Um casaco (180 euros) ou uma camisola (160 euros) podem demorar cerca de 50 horas a fazer. E os gorros (50 euros) entre cinco e seis horas de trabalho. Na etiqueta, um sorriso tricotado. "Quero contrariar o consumismo que polui e as roupas estandardizadas que vestem as pessoas de igual. Dá-me gozo conhecer os clientes e tricotar de acordo com a sua personalidade. De forma personalizada, com amor."

 

(retirado do artigo "A designer do tricô" publicado na edição nº 2104 da REVISTA do jornal Expresso)

 

Paulo Furtado e Sónia Balacó

 

 


publicado por Alma Lusa às 18:20
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

14
16

17

24


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO