Domingo, 30 de Dezembro de 2012



publicado por Alma Lusa às 17:05
Sábado, 22 de Dezembro de 2012

 

Num Portugal atordoado pelo fim dos anos 20, Florbela (Dalila Carmo) separa-se de forma violenta de António (José Neves). Apaixonada por Mário Lage (Albano Jerónimo), refugia-se num novo casamento, mas a vida de esposa na província não é conciliável com sua alma inquieta. Não consegue escrever nem amar. Ao receber uma carta do irmão Apeles (Ivo Canelas), Florbela corre para junto dele. Na cumplicidade do irmão aviador, Florbela procura um sopro em cada esquina da capital entre amantes, revoltas populares e festas de foxtrot. O marido tenta resgatá-la para a normalidade, mas como dar norte a quem tem sede de infinito?

 

Entre a realidade e o sonho, os poemas surgem quando o tempo pára. Nesse imaginário febril de Florbela, neva dentro de casa, esvoaçam folhas na sala, panteras ganham vida e apenas os seus poemas a mantém sã.

 

"Florbela" é o retrato íntimo de Florbela Espanca: não de toda a sua vida cheia de sofrimento, mas de um momento no tempo, em busca de inspiração, uma mulher que viveu de forma intensa e não conseguiu amar docemente.

 

Depois de ter estado nas salas de cinema nacionais, com o filme "Florbela", de Vicente Alves do Ó, a vida de Florbela Espanca chega agora aos ecrãs de televisão. A mini-série "Perdidamente Florbela", de 3 episódios, estreia na próxima 4ª feira, dia 26, na RTP1, e os restantes episódios serão exibidos nos dias seguintes. Dias 26, 27 e 28 de Dezembro, na RTP1, às 21h30.

 

 

 
 
 
 


publicado por Alma Lusa às 18:00
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012

 

Origem: Alvarelhos (Trofa)

 

Foi num espaço alugado, com 1200 metros quadrados, na Maia, que a Epoli eclodiu, em 1992, como mais um dos braços do Grupo Promotor. Em apenas quatro anos, a saúde do negócio ditou que passasse a ocupar um espaço cerca de 20 vezes maior, com 25 mil metros quadrados, em Alvarelhos, Trofa, onde, actualmente, se encontra. Uma década volvida e chegou a altura de expandir a produção também para a República Checa, sempre sem perder o país natal de vista.

 

O nome é difícil de pronunciar e a utilidade talvez não se adivinhe à partida. Ainda assim, e mesmo sem que se dê por isso, as espumas de polietileno podem marcar presença em diversos momentos do quotidiano. No caso das espumas que a portuguesa Epoli produz com base neste polímero sintético, elas podem ser encontradas em embalagens que protegem contra o choque ou atrito. O leque de aplicações é extenso e pode ir desde as redes que envolvem certas variedades de fruta mais sensíveis, até aos perfis que impedem que telemóveis ou tablets, acabados de comprar, surjam com riscos ou que alguns electrodomésticos se danifiquem ao serem transportados.

 

Com uma posição de destaque no mercado ibérico, a empresa sediada na Trofa diz-se também "especialista" no isolamento térmico e acústico, no âmbito da construção civil, nomeadamente no que toca aos pavimentos de madeira flutuante. As espumas Epoli aceleram também para o sector automóvel, com vários tipos de utilização.

 

Para compreender o negócio, uma pergunta é inevitável: o que é, afinal, a espuma de polietileno? João Lopes, general manager da Epoli explica que "não é mais do que um produto que resulta da formação de muito pequenas bolsas de gás no polímero polietileno a que vulgarmente se chama plástico". Fabricadas através de um processo que implica a extrusão do polietileno com a ajuda de um gás expansor, estas espumas são ainda totalmente recicláveis.

 

360 mil metros cúbicos de espuma nascem, todos os anos, nas duas fábricas da Epoli, a partir de perto de 9 mil toneladas de polietileno que ali chegam para serem extrudidas. Este tipo de plástico pouco denso é comprado no mercado interno, e no externo, mas é lá para fora que se encaminha a maioria dos produtos com chancela nacional. A maior fatia vai para a Europa: 85% das vendas dividem-se entre Espanha, França, Alemanha, Itália, Holanda, Irlanda, República Checa, Suíça, Bélgica e Hungria. Foi precisamente para absorver o crescimento do negócio no centro da Europa que, em 2006, a cidade de Libcice, a 20 quilómetros de Praga, assistiu à criação da segunda unidade produtiva da Epoli, desta feita na República Checa.

 

(retirado do artigo "Portugal faz bem - Espuma de todos os dias" publicado na edição nº 1033 da revista VISÃO)

 

http://www.epoli.pt/

 



publicado por Alma Lusa às 19:49
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012

 

Naturalidade: Lisboa (1978)

 

                              TV - "Programa da Maria" (SIC - 2001)

 
TV - "Herman SIC" (SIC - 2000/02)
 
TV - "Esperança" (TV Globo - Brasil/ 2002)
 
Cinema - "Alice" (2005)
 
Cinema - "Goodnight Irene" (2008)
 
TV - "Os Contemporâneos" (2008/09)
 
TV - "Noite Sangrenta" (RTP1 - 2010)
 
Teatro - "Num dia igual aos outros" (2010)
 
Cinema - "Sangue do meu Sangue" (2011)
 
TV - "Último a Sair" (RTP1 - 2011)
 
Cinema - "Assim Assim" (2012)
 
Cinema - "Linhas de Wellington" (2012)
 
Cinema - "Operação Outono" (2012)


publicado por Alma Lusa às 17:16
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012
 

Então Ficamos

 

Espectáculo de encerramento de GUIMARÃES 2012 - CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA, com uma duração de cerca de 90m, para transmissão em directo na RTP2. Trata-se de um espectáculo musical com referências etnográficas numa homenagem à cidade de Guimarães e à região do Minho. Para além da intervenção de uma orquestra e de um coro, entre outros artistas, participam Amélia Muge, José Mário Branco, Carlão, Adolfo Luxúria Canibal e Mão Morta e Magna Ferreira. O espectáculo, que não contará com a presença tradicional de apresentadores, será pontuado por um narrador para asseguramos a percepção do conceito e argumento do projecto.

 

"Então Ficamos…" é a mensagem do último espectáculo da Capital Europeia da Cultura (CEC) Guimarães 2012, que termina com 48 horas de animação de rua.

 

 

 

 
 


publicado por Alma Lusa às 15:36
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012

 

Ele é mineiro, todos os dias tenta deixar-se ir com a corrente do rio.

Ela sonha ir também, mas está presa.

Estão todos presos por uma corrente.

São dominados pela força da montanha.

É de lá que saem todos os dias e para onde voltam a entrar.

Um dia, a corrente parte-se.



publicado por Alma Lusa às 15:26
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012

 

"Um por Todos" é uma emissão especial apresentada por Catarina Furtado para homenagear o trabalho de voluntários e Organizações Não Governamentais, na sequência do final da terceira série do programa "Príncipes do Nada". Numa transmissão da RTP, em directo do Pátio da Galé, em Lisboa, no dia 21 de Dezembro de 2012, "Um por Todos" tem cerca de duas horas. A emissão é uma oportunidade para a sociedade civil conhecer melhor alguns dos verdadeiros "príncipes do nada", cuja missão a equipa de reportagem de Catarina Furtado acompanhou na sua viagem pela Índia, Sudão do Sul, Haiti e Moçambique.

 

"Um por Todos" inclui entrevistas com os "príncipes do nada", momentos surpreendentes, música e entrega de donativos. Neste programa especial dedicado à cidadania, justiça social e participação a favor dos direitos humanos e do desenvolvimento, pretende-se alertar consciências através de exemplos que devem ser contagiantes. Quer-se ainda promover compromissos que ajudem aqueles que mais sentem diariamente as desigualdades sociais. Esta é também a segunda vez que a RTP e a produtora Até ao Fim do Mundo se juntam para organizar este programa especial, que em Março de 2011 teve a sua primeira edição.

 

Convidados musicais: - Carminho - Os Quais - Nancy Vieira - Gomo - Grupo de Dança Clássica Indiana Kathak, da Comunidade Hindu de Portugal

 

 



publicado por Alma Lusa às 13:44
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012






publicado por Alma Lusa às 11:09
Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2012

 

O piloto português Filipe Albuquerque vai, pela terceira temporada consecutiva, disputar o Campeonato Alemão de Carros de Turismo (DTM), novamente ao volante de um Audi.

 

Piloto oficial da marca alemã desde 2011, Filipe Albuquerque, uma das apostas da Audi, quer na próxima época tirar partido da experiência adquirida nos últimos dois anos e lutar de forma contínua pelos lugares no pódio. "Estou muito contente. É um privilégio poder repetir o DTM e usufruir da experiência adquirida até aqui. Tenho a certeza que vai ser um ano muito disputado e gratificante, no qual ambiciono ser presença regular no pódio", afirmou, citado pela sua assessoria de imprensa.

 

O piloto português irá ter como companheiros de equipa na Audi o piloto britânico Jamei Green, o piloto sueco Matias Ekstrom , o piloto suíço Eduardo Mortate e os pilotos alemães Timo Scheider e Mike Rockenfeller. Fica ainda por decidir quem irá ser o titular do oitavo A5 DTM, sendo que o nome do piloto espanhol Miguel Molina e do piloto Rahel Frey não foram mencionados para o lugar.

 

 Contudo, antes do início da nova temporada do DTM, que está previsto começar no dia 5 de Maio, Filipe Albuquerque irá ter a oportunidade de disputar as 24 horas de Daytona, a 26 e 27 de Janeiro, ao volante do Audi R8 da Alex Job Racing Team, onde irá ter como companheiros de equipa Edoardo Mortara e Oliver Jarvis. "Esta é uma prova com que sempre sonhei. É uma honra representar, também aqui, a Audi. Ter Mortara e Jarvis como companheiros de equipa vai ser muito bom, uma vez que os conheço bem, e espero discutir a vitória", concluiu o piloto português.

 

De referir que pode assistir a várias provas de desporto motorizado no site da bet365 em desporto em directo .

 

 

(artigo escrito por David Simples)

 

 

 



publicado por Alma Lusa às 19:32
Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2012


publicado por Alma Lusa às 17:35
Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

16
19

23
24
25
26
27
28
29

31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO