Sexta-feira, 16 de Dezembro de 2011

 

Origem: Porto

 

Das prateleiras do balcão sobressaem as cores do universo de chocolates e amêndoas mais antigo do Porto, Arcádia. Ao fundo, a porta abre-se para a fábrica, na qual se mantém a produção artesanal. No edifício da Rua do Almada há ainda espaço para os escritórios  onde dois irmãos trabalham para conseguir levar a marca de família ao resto do País. Acredite-se. Já não é preciso ir ao Porto para comprar as históricas línguas-de-gato ou as amêndoas de licor Bonjour.

 

No ano em que um grupo de professores de Direito, coordenado por Salazar, apresentava o novo texto da Constituição, em 1933, Manuel Pereira Bastos abria na Praça da Liberdade, no Porto, a confeitaria que se iria tornar um ícone da cidade. As línguas-de-gato de chocolate e as amêndoas tornar-se-iam motivo para todos os visitantes da cidade não saírem de lá sem uma caixa. O local era ainda destino preferido da alta sociedade. Os anos passaram e o negócio foi-se mantendo em família. Com a morte de Manuel, o negócio passou para o filho, pai de Margarida e João. Os dois lembram-se de ser ainda crianças e receber todos os dias em casa uma caixa com bolos da Arcádia. Guidinha, como era então chamada, dispensava. O irmão Joãozinho não hesitava comer dois ou três, até que a adolescência o alertou para o peso. Foi também por esta altura que os dois começaram a conhecer os cantos à casa e a ajudar em períodos de férias. Natal e Páscoa eram momentos prósperos para o negócio. Foi assim até a concorrência permitir.

 

Há quase 12 anos, em 2000, a antiga confeitaria acaba mesmo por ser encerrada. Mas sem um verdadeiro ponto final. Passa apenas a produzir os produtos tradicionais: sortido, línguas-de-gato e amêndoas de licor. Um ano depois, com a morte do pai, João e Margarida tomam conta do negócio. Ela deixa para trás o trabalho em Análises Químicas, conseguido depois de uma licenciatura em Farmácia. E ele, 25 anos de experiência ao serviço do Grupo SONAE.

 

Começaram com um quiosque por altura da Páscoa e do Natal no NorteShopping (Matosinhos), em 2003. O sucesso ditou que permanecessem abertos o ano inteiro. A falta de condições foi um trampolim para a abertura da primeira loja (em 2005), enquanto outros quiosques abriam no Porto, Braga, Coimbra e em Lisboa. Em 2007, recordam os dois irmãos, a Arcádia estava novamente na rua, com uma loja na Avenida da Boavista, no Porto, e uma oferta mais variada (scones, crepes, chocolate quente, saladas). Seguiu-se uma loja só de chocolates no Picoas Plaza, em Lisboa, depois substituída por outra no Dolce Vita Tejo, na Amadora. Mas os dois sócios perceberam que o conceito funcionava melhor na rua. Prova disso foram as lojas que abriram já nestes últimos dois anos, na Avenida de Roma e em Campo de Ourique, em Lisboa. A ideia dos gerentes da Arcádia é de expansão, com a abertura de duas lojas franquiadas em Guimarães e em Braga. Segue-se o resto do mundo. Sempre sob a máxima de manter a tradição. É aí que está a diferença.

 

(retirado de DEZEMBRO:MÊS DAS MARCAS - "Artesãos dos chocolates fazem crescer negócio de família", no Diário de Notícias)

 

 

 

 

 

http://www.arcadia.pt/

 

 

 

 



publicado por Alma Lusa às 18:52

 

 

O filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço foi hoje distinguido com o Prémio Pessoa, galardão que, desde 1987, premeia portugueses com um papel relevante nas áreas da cultura, literatura e ciência. O anúncio foi feito no Palácio de Seteais, em Sintra, por Francisco Pinto Balsemão, que preside ao júri também constituído por Fernando Faria de Oliveira, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, João Lobo Antunes, José Luís Porfírio, Maria de Sousa, Mário Soares, Miguel Veiga e Rui Magalhães Baião.

 

Nascido em São Pedro do Rio Seco (Almeida), e com 88 anos, Eduardo Lourenço é o maior pensador português da actualidade. A viver em Paris há várias décadas, manteve sempre uma profunda ligação ao seu país. No comunicado sobre a escolha de Eduardo Lourenço, o júri do Prémio Pessoa diz que "num momento crítico da História e da sociedade portuguesa, torna-se imperioso e urgente prestar reconhecimento ao exemplo de uma personalidade intelectual, cultural, ética e cívica que marcou o século XX português." Segundo o comunicado do júri, "Eduardo Lourenço é um português de que os portugueses se podem e devem orgulhar. O espírito de Eduardo Lourenço foi sempre reforçado pela sua cidadania atenta e actuante. Portugal precisa de vozes como esta. E de obras como esta."

 

Na entrega do prémio a Eduardo Lourenço, Francisco Pinto Balsemão disse que "não há dúvida que o nosso premiado é uma referência e o nosso país precisa de referências." Também Mário Soares destacou a importância deste prémio nos dias em que vivemos. "Num momento como este, é particularmente importante dar o prémio a Eduardo Lourenço porque, para além de tudo, é um homem que acredita em Portugal e nos portugueses."

 

Eduardo Lourenço é o 25º galardoado com o Prémio Pessoa, juntando-se a nomes como Maria João Pires, António Damásio, Herberto Helder, João Lobo Antunes, José Cardoso Pires, Eduardo Souto de Moura, Manuel Alegre, Manuel Sobrinho Simões, entre outros. Em 2010, o prémio foi para a cientista e investigadora Maria do Carmo Fonseca. Ao receber uma distinção com o nome de Fernando Pessoa, Eduardo Lourenço disse que foi "como receber do além a visita dele".

 

 

 

 
 


publicado por Alma Lusa às 16:30

 

 Jorge Jesus, treinador do Benfica

 

O que têm em comum Jorge Jesus (Benfica), Domingos Paciência (Sporting), Vítor Pereira (FC Porto), Leonardo Jardim (Sp. Braga), José Mourinho (Real Madrid - Espanha), André Villas-Boas (Chelsea - Inglaterra), Carlos Carvalhal (Besiktas - Turquia) e José Couceiro (Lokomotiv Moscovo - Rússia)? São todos treinadores de futebol portugueses e estão todos apurados para a próxima fase da Liga dos Campeões e da Liga Europa, as principais competições de futebol do Velho Continente, o que faz com que Portugal seja o país com o maior número de treinadores apurados nestas competições. A seguir, surge a Holanda (7), Itália (6) e Alemanha (5), seguindo-se várias outras nacionalidades.

 

Silveira Ramos, presidente da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, disse ao jornal desportivo A Bola que "para os treinadores portugueses, este dado representa a sua afirmação num espaço de grande visibilidade, exemplos de competência", lembrando que também "existem muitos outros treinadores portugueses a fazer bom trabalho noutras partes do Mundo e que merecem igual tributo, apenas não gozam da mesma visibilidade". Para Silveira Ramos, "estes oito treinadores portugueses que estão envolvidos em competições da UEFA demonstram que o técnico português tem qualidade para vingar ao mais alto nível" e aponta duas razões para a afirmação internacional dos treinadores lusos: "Em primeiro lugar, a sua formação científica. Portugal foi o primeiro país a impor a si próprio os quatro níveis de formação." e "Em segundo lugar, tem a ver com a nossa capacidade de adaptação tão portuguesa. Gostamos da diversidade, aprendemos a gostar de outras culturas e adaptamo-nos com muita facilidade."

 

Esta manhã, realizaram-se os sorteios para a próxima fase da Liga dos Campeões e da Liga Europa, que irão proporcionar encontros entre equipas portuguesas e equipas treinadas por portugueses e/ou onde jogam futebolistas portugueses. Aqui ficam os próximos jogos:

 

Liga dos Campeões

 

Benfica - Zenit São Petersburgo (onde jogam Danny e Bruno Alves)

CSKA Moscovo - Real Madrid (treinado por Mourinho e com os jogadores Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Ricardo Carvalho e Pepe)

Nápoles -Chelsea (treinado por Villas-Boas e com os jogadores Raul Meireles, Bosingwa, Paulo Ferreira e Hilário)

 

 

Liga Europa

 

FC Porto - Manchester City

Sporting - Légia Varsóvia

Sp Braga - Besiktas (treinado por Carvalhal e com os futebolistas Quaresma, Simão, Manuel Fernandes, Hugo Almeida, Júlio Alves e Bebé)

Atlético Bilbau - Lokomotiv Moscovo (treinado por Couceiro e onde joga Manuel da Costa)

 

 

 

 

 



publicado por Alma Lusa às 15:37

Lagoa das Sete Cidades, na ilha de São Miguel (Açores)

 

 

O arquipélago dos Açores é o destino número um a visitar em 2012 para a revista de viagens norte-americana "Budget Travel". Todos os anos, a revista faz um guia de viagens para os destinos mais apelativos e, ao mesmo tempo, económicos.

 

Para a escolha do arquipélago português, a revista destaca os preços convidativos dos hotéis de cinco estrelas, que rondam os 112 dólares (85 euros) por noite, assim como a beleza das "nove ilhas vulcânicas" com as "igrejas barrocas, as praias de areia preta, os lagos nas crateras." Outra das grandes vantagens apontadas pela revista é a existência de pacotes de viagens atractivos com ligações aéreas a partir de Boston e as ligações existentes entre as ilhas do arquipélago. Elogia ainda as temperaturas amenas durante todo o ano e indica o período entre Outubro e Maio como a altura ideal para os turistas da natureza visitarem o arquipélago.

 

Os outros destinos desta lista são o Egipto, a faixa atlântica do Canadá, o Belize, a Polónia, Taipei (em Taiwan), Atenas e as cidades norte-americanas de San Diego, San Antonio e Kansas.



publicado por Alma Lusa às 15:23
Com Maria Estela Guedes e Luís Serguilha
 
 

 

 



publicado por Alma Lusa às 12:44
Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


22
23
24

25
26
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO