Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011
 
 
 
 


publicado por Alma Lusa às 22:09
 

 

Sinopse: Laura, uma cabeleireira viúva de 45 anos, leva uma vida vazia num subúrbio perto do mar. Os filhos, já adultos, estão cada vez mais ausentes. Na sua solidão, Laura dedica-se aos animais vadios. A vida de Laura vai ser virada do avesso quando acolhe Carmo, uma jovem seropositiva rebelde que não tem onde ficar. Juntas vão ter de lutar contra a discriminação e a intolerância do pequeno bairro. Um novo revés acontece quando Laura conhece Rui, um pescador muito mais novo, por quem se apaixona. Carmo transforma-se num obstáculo para a sua felicidade. Agora é ela que, ao ver ameaçado o seu lugar, se insurge contra Laura.

 



publicado por Alma Lusa às 19:51

 

E é mais um prémio internacional para o filme português "Mistérios de Lisboa"... desta vez a adaptação do romance de Camilo Castelo Branco feita pelo realizador chileno Raúl Ruiz, falecido em Agosto, foi distinguido pela Associação de Críticos de Cinema de Toronto, no Canadá, com o prémio de Melhor Filme Estrangeiro.

 

A Associação de Críticos de Cinema de Toronto foi criada em 1997 e é composta por jornalistas e críticos de cinema de vários meios de comunicação. Além do filme português, foram ainda premiados "A Árvore da Vida", de Terrence Malick - Melhor Filme do Ano e Melhor Realizador; Michael Shannon, em "Take Shelter" - Melhor Actor; Jessica  Chastain, em "Take Shelter" - Melhor Actriz Secundária; Michelle Williams, em "My Week with Marilyn" - Melhor Actriz; Christopher Plummer, em "Assim é o Amor" - Melhor Actor; "Moneyball", escrito por Steve Zaillian e Aaron Sorkin - Melhor Argumento; "Nostalgia for the Light", de Patricio Guzman - Melhor Documentário; "As Aventuras de Tintim", de Steven Spielberg - Melhor Animação.

 

"Mistérios de Lisboa" está nomeado em 3 categorias dos Satellite Awards, os prémios da Internacional Press Academy dos Estados Unidos. O filme estreou no passado fim-de-semana nas salas de cinema do Reino Unido e foi bastante elogiado em jornais como The Guardian, The Telegraph, The Independent e The Times.

 



publicado por Alma Lusa às 19:32

 

 

 

O relato do golo marcado por João Moutinho, no jogo FC Porto - Paços de Ferreira (3-0), a 28 de Outubro, feito por João Ricardo Pateiro, jornalista da TSF, foi eleito o melhor relato internacional de 2011 pelo canal de televisão ESPN Brasil.

 

O golo de João Moutinho, o terceiro dos dragões, foi marcado aos 84 minutos de jogo e João Ricardo Pateiro, como já é habitual para quem sintoniza a estação de rádio para ouvir os relatos dos jogos, gritou o golo e criou uma letra adaptando uma música conhecida. Desta vez, foi A minha casinha, tema cantado por Milú no filme O Costa do Castelo, e que, anos mais tarde, se tornou bastante popular ao ser adaptado pela banda rock Xutos e Pontapés, sendo uma das músicas mais emblemáticas do grupo.

 

Este é o relato que valeu o prémio:

 

 

 
 
João Ricardo Pateiro é um verdadeiro fenómeno a relatar jogos de futebol e as letras que cria para os jogadores, adaptando músicas conhecidas, têm tanto sucesso que já há jogadores que lhe pedem para criar músicas para eles. Aqui fica um exemplo:
 
 
 
 
 
O "fenómeno" João Ricardo Pateiro já chegou à televisão... no passado domingo, o jornalista da TSF foi caricaturado por Eduardo Madeira no programa Estado de Graça, da RTP1.
 

 



publicado por Alma Lusa às 18:23


 

 

 

 

 

 

O livro "Ingrediente Secreto", do chef Henrique Sá Pessoa, venceu o prémio internacional "Gourmand World Cookbooks Awards 2011", que distingue os melhores livros de culinária e de vinhos em todo o mundo, na categoria de Melhor Livro de Cozinha de uma série televisiva. Henrique Sá Pessoa apresenta, na RTP2, um programa de culinária com o mesmo nome do livro, que pode ser visto aos domingos, às 19h00.

 

Henrique Sá Pessoa reúne no livro um conjunto de receitas apresentadas no programa de televisão, onde em cada programa o chef escolhe um ingrediente secreto que dá origem a várias receitas. Na confecção destas receitas, Sá Pessoa tem sempre presente a influência da cozinha portuguesa e faz questão de usar produtos da época.

 

Natural de Oeiras e com 35 anos, Henrique Sá Pessoa estudou no Pennsylvania Institute Of Culinary Arts, em Pittsburgh, nos Estados Unidos, onde obteve um Associate Degree in Specialized Technology. Começou a trabalhar no Sheraton Park Lane, em Londres, e, desde aí, passou por várias cozinhas, como o Sheraton on the Park (Sidney - Austrália), Hotel da Lapa (Lisboa), restaurante Xarope (Cascais), restaurante La Villa (Estoril), Bairro Alto Hotel (Lisboa) e restaurante Panorama do Hotel Sheraton Lisboa & Spa.

 

Em 2009, abriu o seu restaurante, Alma, no bairro de Santos, em Lisboa.

 

http://www.ingredientesecreto.tv/

 

 

 

 

 



publicado por Alma Lusa às 18:00

 

Há focos de luzes azuis a varrer a sala de espectáculos do Circo Nikulin, em Moscovo, na Rússia. Na arena central, dois rapazes enfrentam-se, olhos nos olhos, em movimentos gingões. O público grita "go, go, go, go", num compasso ritmado com a música hip hop, que sai dos pratos de um DJ, em alto volume. Calças e camisola cinzenta, ténis azuis e verdes, Lagaet é o primeiro a avançar. Num gesto desafiador, tira o boné da cabeça e começa a dançar. Mais depressa do que conseguimos acompanhá-lo, roda as pernas, apoia as mãos no chão e já está suspenso no ar, apenas apoiado na cabeça e no dedo indicador. Dança, alinhado com os beats da música, rodopia, dá saltos em cima de uma das mãos, voltas sobre o corpo, de pernas esticadas no ar. Continua em movimentos quase impossíveis de descrever, como se fosse um boneco articulado, o corpo transformado em borracha e a desafiar as leis da gravidade. Lá fora, estão dois graus abaixo de zero, mas, dentro deste histórico circo moscovita, fundado em 1880 e entretanto baptizado com o nome do palhaço que ali actuou em meados do século XX, Yury Nikulin, transpira-se, sob um calor abrasador.

 

Lagaet Alin tem 23 anos e, apesar do nome não o indicar, foi o representante de Portugal no Red Bull BC One, o mais importante campeonato mundial de bboying, um género de dança da cultura hip hop, nascida nas ruas dos subúrbios de Nova Iorque, nos anos 70, entre as comunidades afro-americana e hispânica. Foi em Moscovo que se enfrentaram, a 26 de Novembro, os 16 melhores bboys do mundo, vindos das Américas, da Ásia, da Europa. Lagaet, um caribenho da longínqua ilha da Martinica, vive no Porto há cinco anos e diz, sem hesitar, que se sente português e quer pôr Portugal no mapa do bboying (foi ele o primeiro e, até agora, único a fazer-nos entrar na competição anual da Red Bull, em 2009). Afirma-o sem simpatias forçadas e numa pronúncia quase perfeita, que apenas denuncia um ligeiro acento francês e um, menos disfarçável mas mais divertido, sotaque do Porto.

 

Na véspera, não escondera o esforço para aqui chegar. Depois de ter sido o vencedor da eliminatória de Barcelona, em Julho (estava a recuperar de uma cirurgia ao joelho mas decidiu competir, contra as ordens do médico), treinou sem parar, para estar no Red Bull BC One "para ganhar". Determinação nunca lhe faltou - ou não tivesse saído da Martinica aos 18 anos, decidido a voar no bboying, com a desculpa de ir estudar Contabilidade e Gestão para uma universidade de Montpellier, em França. Já levava cinco anos como bboy, depois de ter descoberto a dança numa festa de final do ano no colégio - até aí, tudo o que tinha a ver com hip hop parecia-lhe uma moda estranha e sem piada, mas um movimento de rotação feito por outro rapaz convenceu-o em três tempos: "Quero fazer aquilo!", disse, na altura. E nunca mais parou.

 

Na Europa, começou logo a viajar e entrou de cabeça na gigantesca máquina do bboying mundial, um universo de bboys profissionais, patrocinados, com contratos assinados, que participam em competições pelo planeta fora e são convidados para dar workshops e mostrar o que conseguem fazer com o corpo, ao som do beat hip hop. Não demorou muito a aterrar em Portugal, depois de ter conhecido, num combate em Paris, um bboy português, Max Oliveira, fundador dos Momentum Crew, do Porto. Haverá razão para estranhar ter decidido ficar por cá, já lá vão cinco anos? "Adorei Portugal, fazes uma pergunta e a pessoa vai contigo nem que tenha de atravessar a rua! Gostei do ambiente do Porto, das pessoas, do clima. Encontrei uma família. Não tinha isso tudo nem no meu país nem em França. Devo muito a Portugal, onde me sinto bem e onde quero ficar. É o meu país. É um orgulho poder estar aqui a representar Portugal", diz este rapaz alto e moreno, de cabelo rapado, músculos moldados pelo treino intenso, brinco em forma de clave de sol na orelha e minúsculo piercing no nariz.

 

De regresso ao Porto, voltará a uma rotina que é tudo menos rotineira: aulas na escola da Momentum Crew, competições pelo mundo, outros espectáculos de dança, participação em acontecimentos organizados por marcas ou por ginásios (onde também ensina bboying ) e os workshops que dá pelo mundo. Em Janeiro, voltará à Sibéria, onde já esteve antes a dar aulas de bboying - sim, esta dança está a crescer por lá e Lagaet, um bboy com mais de 20 títulos no currículo, entusiasma. Em Portugal o movimento também vai crescendo, vão-se formando crews de bboys e muitas encontram-se na competição organizada pelos Momentum, a Eurobatle, que já ganhou estatuto na cena internacional (a próxima será em Abril). Também ajudou na divulgação desta dança a participação da crew de Lagaet e Max (são nove, ao todo) no programa da SIC, Portugal tem Talento.

 

O importante é não parar - até porque Lagaet não consegue ficar muito tempo no mesmo lugar a fazer a mesma coisa. Não admira que o bboying, uma dança que nunca é igual e que, de dia para dia, parece sempre transcender-se, lhe assente tão bem. Esperem por ele em 2012.

 

(excertos do artigo "Dancemos no mundo" publicado na edição nº 979 da revista VISÃO)

 

 

 

 


publicado por Alma Lusa às 16:57

 

Naturalidade: Maçã (Sesimbra) (1967)

 

Helena Laureano ganhou o título de Dama de Honor no Concurso Miss Portugal, tendo representado Portugal no Miss Mundo 1988, onde conquistou o título de Miss Personalidade. Iniciou uma carreira de modelo e, posteriormente, de actriz. A sua estreia foi na série "Caixa Alta", da RTP1, em 1989. Actualmente podemos ver Helena Laureano no papel de Eduarda, na novela "Rosa Fogo", na SIC.

 

                                                             

                                    TV - "Cinzas" (RTP1 - 1992/93)

                                 TV - "Na Paz dos Anjos" (RTP1 - 1994)

 
TV - "Não há duas sem três" (RTP1 - 1997/98)
 
TV - "Clube dos Campeões" (SIC - 1999/2000)
 
TV - "O Olhar da Serpente" (SIC - 2002/03)
 
Cinema - "Fatal" (2006)
 
TV - "Casos da Vida: Refém do Passado" (TVI - 2008)
 
TV - "Fascínios" (TVI - 2007/08)
 
TV - "Flor do Mar" (TVI - 2008/09)
 
TV - "Dias Felizes" (TVI - 2010)
 
TV - "Mar de Paixão" (TVI - 2010/11)
 
TV - "Rosa Fogo" (SIC - 2011)


publicado por Alma Lusa às 11:05
Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


22
23
24

25
26
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO